Prótese de Joelho

Protese Total

As próteses de joelho são substituições articulares indicadas em casos de artrose severa, com ou sem desvio do eixo do joelho,  dor importante e restrição funcional, limitando o paciente  de atividades cotidianas.
A idéia de interpor algo entre os ossos do joelho para evitar o atrito e a sobrecarga óssea, e consequentemente a dor, surgiu em 1860 por Fergunsson. As tentativas iniciais foram realizadas com tecidos moles (cápsula articular, pele, músculos, fáscia, gordura e até tecidos suínos). O primeiro implante surgiu na década de 40, porém como não  reproduzia a complexidade do joelho, o paciente permanecia com dor, instabilidade e perdas funcionais importantes. Em 1971 Gunston conseguiu reproduzir parcialmente o conjunto de movimentos do joelho, e desenhou uma prótese que apresentou melhores resultados, sendo este o modelo para os implantes seguintes. Hoje em dia, o desenvolvimento da técnica da cirurgia de prótese de joelho  tem proporcionado uma melhora importante na qualidade de vida dos pacientes. 
Esta evolução passou recentemente pelo desenvolvimento das próteses parciais, aonde é feita a substituição apenas do compartimento do joelho atingido pela artrose grave.  Existem 3 compartimentos no joelho: o medial, lateral, compostos pela articulacao entre fêmur e tíbia,  e o patelo-femoral. Estes tipos de prótese tem indicações restritas, e o joelho deve ser cuidadosamente analisado para que não haja substituição ou manutenção indevida de determinadas estruturas.
São realizadas, em média ,130 mil cirurgias de prótese de joelho por ano nos Estados Unidos. A técnica consiste em expor integralmente a articulação através de uma incisão longitudional anterior ao joelho, e abertura das camadas subcutâneos e do aparelho extensor (tendão quadricipital, cápsula e retinácula medial, extendendo o corte medialmente ao tendão patelar até proximo à tuberosidade anterior da tibia). Todo tecido degenerado deve ser retirado. A cartilagem é extraída através de cortes ósseos guiados por instrumentos milimetricamente inseridos, preparando o fêmur, a tíbia e a patela para receberem os implantes  fixados por cimento ósseo.
                       
O retorno da deambulação é precoce, com auxílio de andador e depois bengala. A  fisioterapia deve ser iniciada rapidamente.
Os objetivos da fisioterapia são : trabalhar os movimentos do joelho, cuidados com a cicatriz e desenvolvimento de  reforços musculares de proteção. Estas medidas permitem ao paciente voltar a andar normalmente e executar as atividade diarias sem dor, além de evitar o desgaste precoce do implante.
          
 
Fonte: http://joelho.pro/content/pr%C3%B3tese