fbpx De que maneira o coração está relacionado com as emoções? | Amato

De que maneira o coração está relacionado com as emoções?

De que maneira o coração está relacionado com as emoções?

 Historicamente se diz que no coração está a origem do amor, da coragem, da bravura e que pessoas boas têm coração grande e ruins não têm coração. Porém, hoje sabemos que o cérebro é a base do comportamento humano, sede de todos os sentimentos, pensamentos e emoções. Entretanto, as experiências, quando geram muita emoção, afetam diretamente o coração. E as doenças cardíacas, por sua vez, também podem manifestar emoções, tais como medo, ansiedade e depressão, revelando que a interação entre coração e mente é recíproca.

Desde 1952 sabe-se que uma região do cérebro chamada sistema límbico, recebe informações externas, transformando-as em emoções. Ativa-se um complexo sistema nervoso e humoral que, através de reações físicas e químicas, controla o funcionamento de vários órgãos, inclusive do coração. Dessa maneira, a circulação sofre mudanças repentinas, intensas e com extrema rapidez e no espaço de 3 a 5 segundos, a freqüência cardíaca pode aumentar até o dobro do normal, e dentro de 10 a 15 segundos a pressão arterial chega a ser duplicada. Tudo isso para que o indivíduo se prepare fisiologicamente , melhorarando a performance, para enfrentar situações de risco e de curta duração.

 

Pessoas pessimistas têm mais chances de sofrerem doenças cardíacas, por que? 

Os indivíduos reagem de maneiras diferentes ao mesmo estímulo. Dessa forma, a paixão de um pode ser causa da ansiedade de outro. A habilidade para tolerar problemas também depende da personalidade, das experiências anteriores, da educação e da cultura individual. As pessoas pessimistas vivem sofrendo por problemas que ainda nem aconteceram e que também podem nem vir a ocorrer. Quando elas imaginam acontecendo o pior, elas estimulam aquele complexo sistema nervoso e humoral e a freqüência cardíaca, assim como a pressão arterial ficam elevadas . Isso acontecendo continuamente, pode levar a uma crise hipertensiva, uma arritmia ou mesmo um infarto. Esse sistema continuamente estimulado pode levar a inquietação, fadiga, dificuldades de concentração, irritabilidade, tensão muscular, alteração do sono, ansiedade, que eventualmente pode evoluir para a depressão. Cai a resistência a doenças, o que pode levar até a morte. Portanto faz mal para todo o organismo.

 

 

Sentimentos como a raiva e o ódio fazem mal ao coração? De que maneira?

As manifestações resultantes de emoções opostas, como raiva e amor, são contrastantes, mas às vezes assemelham-se por serem ambas estados de excitação que se originam na mesma região do cérebro. As reações que ocorrem no organismo tem como objetivo mantê-lo vivo e adaptado às situações mais adversas. Assim, diante de qualquer emoção ocorre a taquipnéia (aumento da freqüência respiratória) para melhorar a oxigenação, hiperglicemia (aumento do nível de açúcar no sangue) para aumentar a energia, e dilatação da pupila para aumentar o campo visual. Na raiva, porém, os movimentos corporais são tensos, a voz é ríspida, há constricção ou dilatação dos vasos, espasmo intestinal, inibição dos reflexos sexuais, contração vesical, boca seca, suores, hipertensão arterial, aumento da agregação plaquetária e depressão do sistema imunitário. Ou seja, alterações que contribuem para o aparecimento de doenças cardiovasculares, infecções e neoplasias.

 

A fé, o bom humor e o auto-conhecimento ajudam a prevenir doenças do coração?

As emoções relacionadas ao amor levam ao relaxamento muscular, voz suave, vasodilatação, relaxamento intestinal, secreção glandular, salivação, calor sem sudorese, ou seja, manifestações que previnem as doenças cardiovasculares, infecções e neoplasias. Existem evidências, explicadas por essas alterações que rezar reduz a tensão muscular e a incidência de doenças coronarianas. A meditação diminui a ansiedade, a depressão, a irritabilidade e melhora a capacidade de aprendizagem, de memória, de estabilidade emocional, assim como pode aliviar dores crônicas.

Têm maior concentração e maior capacidade de resolução de problemas.

 

Quais são as principais atitudes para isso?

 Embora sejam necessários, ainda, muitos estudos para se entender melhor os mecanismos físicos e psicológicos da emoção, recomenda-se, para prevenir problemas cardíacos, ter fé, ser otimista, ter bom humor e reservar momentos de lazer para relaxar. E acima de tudo, conhecer-se a si próprio. Convidamos o leitor a avaliar seu grau de estresse pelo site www.checkup.med.br, onde também poderá encontrar outros testes e mais informações sobre saúde.

 

Quais são as doenças cardíacas mais comuns?

As doenças cardiovasculares são as que maiores responsáveis pela mortalidade. Dentre elas as mais importantes são o infarte do miocárdio e a insuficiência cardíaca.

O infarte é consequente à doença das coronarias causada pela aterosclerose, que tem a hipertensão, a diabetes, a hipercolesterolemia, o fumo, a obesidade e o sedentarismo como seus maiores fatores de risco.

A insuficiência cardíaca é o estágio comum e final da maioria das doenças cardíacas de qualquer origem.

 

 

 
Fonte: Manual para o Médico Generalista, Tratado de Clínica Cirúrgica

 

0
No votes yet