O Estresse e o Coração + 17 dicas antiestresse

O que é o estresse?

           Essa palavra deriva do inglês, sendo, utilizada na física como o grau de deformação sofrido por um material quando submetido a esforço ou tensão. Na medicina, é utilizada para expressar o esforço de adaptação dos mamíferos para enfrentar situações que o organismo entende como ameaça à vida ou ao equilíbrio interior. Nos primórdios, o anseio do homem era apenas a sobrevivência. O homem da caverna quando via um leão em busca de sua próxima refeição, precisava reagir rapidamente. Aquele que não era suficientemente rápido ou forte para responder a essa ameaça não precisava preocupar-se, pois serviria de refeição para os leões. A resposta de luta ou fuga era necessária e sua rapidez, vital para a sobrevivência. Essa é a chamada reação de alerta, fundamental para a sobrevivência humana em momentos críticos.

A reação de alerta tem a função de resolver situações críticas, como a fuga, anteriormente mencionada. Ao perceber a ameaça, o cérebro emite ordens para mobilizar imediatamente a defesa que é ativada com a descarga de adrenalina no sangue, para manter o estado de alerta. Isso acontece normalmente quando o organismo precisa de respostas rápidas e de curta duração. Nessas ocasiões, o coração bate mais rápido, a respiração muda, a pressão arterial eleva-se, as artérias dos músculos dilatam-se e transpiramos. Nessa hora, há desvio de sangue do cérebro, do coração e dos rins, prejudicando a irrigação desses órgãos em favor dos músculos periféricos. Tudo isso acontece para que haja maior irrigação sangüínea (e oxigenação) nas extremidades e o indivíduo possa, por exemplo, fugir de uma situação perigosa.

Que doenças o  estresse pode ocasionar no coração?

Quando essa reação passa a ser constante ele afeta a saúde. Pode-se esperar que a pressão arterial elevada resulte do nível excessivo de adrenalina circulante. Isso pode levar a arritmias cardíacas e até ao infarto do miocárdio. Não é só o coração que o stress afeta, diminui a resistência imunológica, propicia o aparecimento de gastrite, úlceras, e outras doenças.
As pessoas reagem de maneiras diferentes ao mesmo estímulo, dependendo de suas características genéticas, culturais, sociais, experiências vividas e obviamente, conforme sua educação. No ser humano, a personalidade e as características emocionais são fundamentais na configuração do padrão da resposta comportamental ao estresse.
Atualmente, encontra-se amplamente estabelecida a visão de que o estresse é um importante fator de risco para doenças cardiovasculares, como hipertensão arterial e infarto do miocárdio. Esta idéia é inferida tanto pela observação de que os indivíduos estressados apresentam maior incidência  dessas doenças, como também por elas ocorrem prevalentemente nas sociedades ocidentais urbanizadas e industrializadas. Em outras palavras, são características da sociedade moderna e competitiva, na qual os indivíduos despendem muita energia na tentativa de se adaptarem às situações continuamente alteradas.
Já está amplamente demonstrado que, quando membros de uma determinada sociedade com níveis pressóricos normais experimentam a modernização ocidental, é comum a elevação dos valores médios da Pressão Arterial. Um grande número de estudos indica que a hipertensão é uma doença rara ou quase não existente em sociedades que mantêm um estilo de vida tradicional e que fundamentalmente apareceu quando a urbanização e o padrão de vida ocidental foram amplamente adotados. Este fenômeno tem sido atribuído ao fato de que a vida moderna demanda dos indivíduos uma crescente sobrecarga adaptativa com repercussões emocionais e orgânicas visíveis.

Dicas para evitar o estresse:

 1 -Desenvolva o autocontrole – enfrente os problemas sem se envolver emocionalmente . Crie em torno de si uma barreira psicológica para se proteger das agressões corriqueiras, como as cobranças sociais ou aquelas próprias de sua personalidade.

2 -Analise e identifique os agentes estressores modificáveis - faça periodicamente uma revisão das coisas do dia a dia que  são irritantes e que podem ser modificadas. Ex.:ruído do celular, tipo de musica, etc.

3 -Analise e identifique os agentes estressores não modificáveis – e se você não pode alterá-los, o problema já está por si só resolvido. A sua angustia não vai interferir na evolução, portanto, não se preocupe,tudo na vida passa, independentemente de nossas preocupações.

4 -Não tenha pressa – use o tempo adequadamente e com inteligência.

5 -Faça agenda do dia – programa-se de forma adequada, com tempo suficiente para cada tarefa.

6 -Ninguém é perfeito – faça as coisas da melhor forma que puder e esqueça a perfeição. Ela é uma utopia. O ótimo é inimigo do bom.

7 -Trabalhe para viver – não viva só para trabalhar.

8 -Seja espontâneo – procure manter sempre boas relações.

9 -Não fique se cobrando o tempo todo – seja tolerante consigo mesmo.

10 -Administre seus relacionamentos - deixe as pessoas falarem até concluírem seus pensamentos, não interrompa

11 - Nada de excessos – procure atingir os objetivos dentro de seus limites e critérios. Veja o exemplo da água: segue sempre pelo caminho que estiver descendo, nunca subindo. Siga sua própria predisposição física e sua estrutura psicológica. Se você forçar, poderá “explodir”. E todo o esforço terá sido em vão.

12 -Hobby - Diversifique suas atividades – procure se interessar por outras coisas alem do trabalho, é importante ter uma atividade de lazer que dê prazer.

13 -Durma o suficiente- o tempo de sono é variável de uma pessoa para outra, entre 6 a 9 horas. Respeite a sua necessidade. Não se prive de dormir e também não queira dormir mais do que o necessário.

14 -Não fume -  o hábito de fumar geralmente está ligado a problemas emocionais.  Quando é usado como efeito tranqüilizador em momentos de estresse, medo, desconforto ou pressão, o indivíduo torna-se intolerante a essas tensões e apóia-se na fumaça para suportá-las. Só que, na realidade, tem efeito estimulante e, muitas vezes acaba deixando o indivíduo cada vez mais tenso.

15 -Não beba em excesso- o efeito sobre o humor varia entre as pessoas, e a maioria delas torna-se mais ruidosa e desembaraçada, outros ficam mais morosos e contidos.  Com o tempo o desempenho intelectual e  são prejudicados, mas os indivíduos costumam ser incapazes de avaliar esse prejuízo por si mesmos.

16 -Pratique esporte - exercitar-se fisicamente significa reduzir a depressão, a ansiedade e as perturbações neurovegetativas.  Há maior disposição  para o trabalho, como também para o lazer, maior resistência às doenças de um modo geral. Diminui o grau de estresse, a sensação de fadiga, melhora o sono, o humor, o estado psicológico e o relacionamento pessoal. Aumenta a autoconfiança e  leva a uma saudável alegria de viver.

17 -Exercícios de relaxamento – deixe-se relaxar, começando pelos pés e subindo até a cabeça, atingindo assim o corpo todo. O relaxamento deve ser consciente. Durante o relaxamento observe a respiração, mas procure não interferir nela. Imagine-se em um lugar tranqüilo, numa bela e ampla paisagem que dê uma idéia do infinito. Um nascer de sol, por exemplo, uma praia,ou mar.

Fonte:  Tratado de Clínica Médica, Cardiopatias Valvares

 

0
Sem avaliações