Quanto custa uma cirurgia de varizes?

Quanto custa uma cirurgia de varizes?

Quanto custa uma cirurgia de varizes?

Em R$, quanto custa cirurgia de varizes? Porque tanta diferença? O que influencia no valor? Dr Alexandre Amato, cirurgião vascular do Instituto Amato explica quais são os fatores que influenciam no valor da cirurgia, e porque tanta diferença.
 

 

-- transcrição --

 

 
Olá sou doutor Alexandre Amato, cirurgião vascular do Instituto Amato, e hoje vou responder uma pergunta que é muito frequente quanto custa uma cirurgia de varizes? As pessoas podem achar que é simples essa essa pergunta, e a resposta mais simples ainda, e como depende de vários fatores, a gente não pode precificar de uma maneira tão simples assim. É óbvio: o valor de uma equipe é diferente do valor de outra equipe, o valor de um hospital é diferente do valor de outro hospital, mas tem outras variáveis que influenciam no valor ainda! Então vamos lá. O preço pode custar zero: como no sistema único de Saúde, no SUS.  Até qualquer valor que você possa imaginar. Então por que isso? Então no SUS já está tudo padronizado o procedimento realizado provavelmente vai ser a técnica tradicional, a técnica de stripping mas quando a gente começa a ver as diferentes técnicas disponíveis a gente entende essa variação. Então vamos lá: O primeiro fator que influencia é a técnica utilizada. Quando é realizada a técnica tradicional a técnica de stripping. É uma técnica que precisa de um fio de aço. Chama se fleboextrator. Esse fio de aço ele tem um custo. Não é um custo tão elevado mas tem esse custo, existem os fleboextratores que são descartáveis e existem os fleboextratores  que não são descartáveis. Então quando a gente utiliza um equipamento que não é descartável acaba diminuindo o custo. E normalmente é isso que é oferecido nos pacotes mais simples. No sistema único de saúde. É feita a técnica de stripping, em que arranca essa veia fora e o problema teoricamente aí pode se resolver. Agora quando a gente começa a falar das técnicas mais modernas como as termoablações,  o laser, a radiofrequência. A gente precisa de equipamentos mais especializados como o ultrassom. Então é necessária a realização do ultrassom no intra operatório para guiar o laser para guiar radiofrequência. O primeiro que isso aumenta a segurança da cirurgia, fazendo com que a gente retire as veias que realmente  necessitam ser retiradas. Quando a gente está falando de uma técnica tradicional stripping, sem o ultrassom, a gente não tem esse guia. Então quando a gente volta para as cirurgias de termoablação, o ultrassom é necessário. No caso do laser o gerador de laser é um equipamento caro que necessita ser utilizado e no caso da Rádio Frequência é um aparelho gerador dessa radiofrequência. No caso do laser a gente usa uma fibra ótica para levar essa energia luminosa até dentro da veia. Essa fibra ótica é descartável. Então certifique se que o seu médico está utilizando fibra ótica descartável mas isso também tem um custo que acaba entrando na conta final. Quando a gente está falando da rádio frequência essa radiofrequência também utiliza cateteres. Esses cateteres são caros e necessitam entrar na conta. Quando a gente está falando do laser a fibra ótica pode ser utilizada para tratar diversos tipos de veias inclusive safena e veias perfurantes. No caso da rádio frequência para tratar uma safena é necessário um tipo de cateter, para tratar uma veia perfurante, é necessário outro tipo de cateter então nessa explanação você já entendeu que depende também de uma outra variável que é a doença. Então como a doença se apresenta, pode necessitar de um tipo de tratamento ou de outro tipo de tratamento ou se você opta por fazer uma radiofrequência pode ser necessário mais de um cateter para uma cirurgia. E tudo isso entra na conta final. Também tem a equipe cirúrgica: a equipe cirúrgica consiste no cirurgião, no primeiro auxiliar, no segundo auxiliar, na instrumentadora e no anestesista. Essa equipe inteira vai prover para você a segurança necessária para o tratamento das varizes. Vai ter um custo e esse custo não varia de hospital, para hospital em que a equipe vai mas varia sim de equipe para equipe. Então pode haver uma equipe que é mais barata do que outra, pode haver uma equipe que não utiliza um auxiliar, ou um segundo auxiliar ou mesmo pode operar sem uma instrumentadora. Mas entenda que uma equipe ampla traz segurança para você e traz conforto também no pós operatório. Então mais uma variável que influencia no valor: a equipe, o material, e o centro cirúrgico. Nós temos hospitais gerais que são preparados para realizar cirurgias grandes e manter os pacientes cuidados para a maior quantidade de doenças disponíveis então a gente normalmente já está acostumado com esses hospitais gerais que trata de tudo. Então você entra no pronto socorro trata desde uma apendicite. Uma cirurgia de varizes. Até um trauma, ou um acidente de automóvel. Esses hospitais eles carregam uma infra estrutura muito grande. Aparelhos de tomografia, aparelho de ressonância magnética, um funcionamento 24 horas com equipe ampla de intensivista de pronto socorrista. Toda essa equipe ampla traz um custo para o Hospital Geral muito maior do que um hospital-dia. Essa diferença também é muito grande. Então eu vejo hoje em dia muitos hospitais gerais oferecendo um serviço de hospital dia. Eles vendem a ideia de que o paciente entra no mesmo dia faz a cirurgia e vai embora no mesmo dia. E chama isso de hospital dia. Mas não é! Um Hospital dia é um hospital separado de um hospital geral onde a estrutura, a infra estrutura é selecionada a dedo para o que é necessário para o tratamento do que eles se propõem a tratar. Então não há necessidade de alguns equipamentos que trazem um custo muito elevado para o Hospital Geral. Vou dar um exemplo bem simples mas é a mais pura verdade. Um hospital geral tem que ter um equipamento de ressonância magnética que ocupa uma sala gigantesca, é um equipamento caríssimo com manutenção caríssima e que acaba funcionando 24 horas porque o Hospital Geral tem um pronto socorro que funciona 24 horas. Um hospital dia não precisa de uma ressonância magnética! Não tem necessidade.  Não tem razão para existir um equipamento desse no hospital dia. Então se não há necessidade de ter esse equipamento, de pagar a manutenção desse equipamento, de pagar os funcionários para funcionar 24 horas um equipamento desse. O custo acaba baixando. Então ao buscar um hospital-dia de verdade não um hospital-dia que seja um serviço dentro de um hospital geral também há uma diminuição de custo. Então, agora você já entendeu os três fatores principais que influenciam no valor de uma cirurgia. Eu posso falar que aqui no Instituto Amato nós temos o nosso hospital-dia oferecendo ampla segurança, amplo possibilidade de tratamento cirúrgico das mais diversas doenças e no caso da cirurgia venosas, da cirurgia vascular. Nós oferecemos com o tratamento com laser, com ultrassom, todo o equipamento necessário para a realização da termoablações mais modernas e minimamente invasivas para o paciente num custo muito inferior ao que possa imaginar. Então entre em contato. Mas lembre-se que é necessário passar em consulta para avaliação da sua doença antes de fazer uma estimativa. Gostou do nosso vídeo? Assine nosso canal. Clique no Sininho e receba as notificações. Até a próxima!
0
Sem avaliações