Exercicios para doença vascular.

Doenças da circulação

Exercício Físico

Doenças da circulação

Dr Alexandre Amato, cirurgião vascular, fala sobre os exercícios melhores para quem tem problema de circulação, tanto em problemas venosos quanto em problemas arteriais.
 
 
transcrição
 
 
Olá sou Dr. Alexandre Amato, cirurgião vascular do Instituto Amato, e hoje eu vou falar sobre os exercícios que são adequados na doença vascular. Então nós temos vários sistemas vasculares o arterial, o venoso e o linfático e cada um requer um tipo de tratamento de exercício um pouquinho diferente. Então vou falar inicialmente do exercício para a doença venosa que se assemelha bastante aos exercícios para a doença linfática e também para o lipedema. Então como a Doença Venosa acaba causando o inchaço, um acúmulo de líquido em membros inferiores que é a mesma situação do linfedema e do lipedema, é necessário o exercício físico para aumentar o tônus da musculatura que é responsável pelo retorno desse líquido para a circulação para o coração. Então o tônus da panturrilha que é chamado de coração periférico é o mais importante de todos os melhores exercícios são os exercícios na água. Natação, hidroginástica, corrida na água, bicicleta na água, o Acqua cycling. Todos eles têm um benefício maior porque ocorre a pressão hidrostática então a água também exerce uma pressão na perna direcionando esse líquido para cima. Então, além do Exercício e do aumento do tônus da musculatura os exercícios na água trazem esse benefício. Então obviamente que para os pacientes que têm problema linfático, lipedema, tem que ficar muito mais atento a pequenas feridinhas, pequenas fissuras na pele que podem ser porta de entrada para uma infecção, mas sempre que for possível dar preferência para os exercícios na água, dê! Agora o perfeito é inimigo do feito. Se não for fazer exercício na água não é por isso que vai deixar de fazer exercício. Qualquer outro tipo de exercício pode ajudar. Optamos então em segundo plano pelos exercícios que não tem impacto então uma corrida numa esteira tem menos impacto do que uma corrida na rua. Um vôlei tem muito mais impacto do que uma corrida. Então a gente tenta fugir do impacto para diminuir a possibilidade de alguma lesão, mas, novamente,  mesmo os exercícios com impacto aumentam o tônus da musculatura e são excelentes para o retorno venoso e linfático. Então não deixe de fazer exercício caso não possa fazer um exercício na água. Agora com relação aos exercícios para doença arterial eles precisam ser seguidos bem de próximo pelo cirurgião vascular. O sistema arterial quando está doente ele é responsável por levar o oxigênio distalmente até a ponta do dedo do pé e se não está chegando o sangue não está chegando oxigênio suficiente. A musculatura vai entrar em respiração anaeróbia muito mais cedo vai se cansar muito mais cedo. É necessário que haja um acompanhamento e uma orientação do cirurgião vascular da maneira correta se fazer esse exercício. Também porque os pacientes arteriopatas muito frequentemente têm a arteriopatia no coração. Então o cardiologista também precisa ser consultado para que haja uma liberação da forma de exercício o que pode ser realizada. Então abrangendo todos os sistemas vasculares no final sempre o exercício vai ajudar do ponto de vista vascular. Gostou do nosso vídeo? Curta e compartilhe. Assine nosso canal clica no Sininho para receber as notificações. 

 

O que você acha deste artigo?: 
0
Sem avaliações