Melhore sua saúde tomando sol

sol-dermatologia

Quem não fica mais animado ao abrir a janela e ver um dia lindo de sol? O calor do astro aconchega, esquenta e traz benefícios como a produção de vitamina D, essencial ao metabolismo ósseo, além de melhorar algumas doenças de pele como psoríase e o vitiligo. Porém, devemos lembrar que a alta exposição pode trazer malefícios como envelhecimento precoce, manchas e até tumores de pele.

A dermatologista Aline Pantano Marcassi, da Amato Instituto de Medicina Avançada destaca que há uma questão ainda controversa no meio médico sobre os benefícios a exposição. “Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia, não é recomendada a exposição intencional ao sol para garantir esses benefícios. Alguns estudos já demonstraram que a exposição ocasional ao ambiente externo por dez minutos diários seria suficiente para produzir a quantidade necessária de vitamina D ao organismo”, diz. 

Como pegar sol sem danificar a pele?

Ela ressalta que isso vale até mesmo nas pessoas que usam protetor solar. “Como o produto não é utilizado na quantidade e frequência adequada, isso possibilita a produção de vitamina D da mesma maneira”. Já as pessoas que apresentam doenças de pele devem ser acompanhadas regularmente por um dermatologista para avaliar o caso individualmente.

Para melhorar a absorção o recomendável é que a pessoa vá no horário correto. “Muitas pessoas acham que é bom tomar o solzinho da manhã para produzir vitamina D, o que é um mito. O raio ultravioleta que estimula a produção de vitamina pela pele é o UVB, cuja maior incidência ocorre justamente entre as dez e 16 horas. Desta forma, não adianta tomar sol antes das nove da manhã, pois neste horário a incidência do UVB não é suficiente. O horário ideal para a produção de vitamina D seria entre 11 e 12 horas, o que também é perigoso devido à alta incidência dos raios solares que provocam câncer de pele”, finaliza.

LEIA TAMBÉM:  Rinite
LEIA TAMBÉM:  Hematomas, equimoses e petéquias

Recomenda-se que cada necessidade seja avaliada por um dermatologista e que usem roupas apropriadas, protetor 30 (no mínimo), nas áreas mais aparentes, sempre pela manhã e antes de sair para almoçar. 

Fonte: WebRun

Quem não fica mais animado ao abrir a janela e ver um dia lindo de sol? O calor do astro aconchega, esquenta e traz benefícios como a produção de vitamina D, essencial ao metabolismo ósseo, além de melhorar algumas doenças de pele como psoríase e o vitiligo. Porém, devemos lembrar que a alta exposição pode trazer malefícios como envelhecimento precoce, manchas e até tumores de pele.

A dermatologista Aline Pantano Marcassi, da Amato Instituto de Medicina Avançada destaca que há uma questão ainda controversa no meio médico sobre os benefícios a exposição. “Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia, não é recomendada a exposição intencional ao sol para garantir esses benefícios. Alguns estudos já demonstraram que a exposição ocasional ao ambiente externo por dez minutos diários seria suficiente para produzir a quantidade necessária de vitamina D ao organismo”, diz. 

Como pegar sol sem danificar a pele?

Ela ressalta que isso vale até mesmo nas pessoas que usam protetor solar. “Como o produto não é utilizado na quantidade e frequência adequada, isso possibilita a produção de vitamina D da mesma maneira”. Já as pessoas que apresentam doenças de pele devem ser acompanhadas regularmente por um dermatologista para avaliar o caso individualmente.

Para melhorar a absorção o recomendável é que a pessoa vá no horário correto. “Muitas pessoas acham que é bom tomar o solzinho da manhã para produzir vitamina D, o que é um mito. O raio ultravioleta que estimula a produção de vitamina pela pele é o UVB, cuja maior incidência ocorre justamente entre as dez e 16 horas. Desta forma, não adianta tomar sol antes das nove da manhã, pois neste horário a incidência do UVB não é suficiente. O horário ideal para a produção de vitamina D seria entre 11 e 12 horas, o que também é perigoso devido à alta incidência dos raios solares que provocam câncer de pele”, finaliza.

LEIA TAMBÉM:  Complicações da hepatite B e C
LEIA TAMBÉM:  Guia de Alergias

Recomenda-se que cada necessidade seja avaliada por um dermatologista e que usem roupas apropriadas, protetor 30 (no mínimo), nas áreas mais aparentes, sempre pela manhã e antes de sair para almoçar. 

Fonte: WebRun

Marcações: