Investigação de infertilidade na mulher. Como fazer? Quem pode ajudar?

YouTube video
Dra Juliana Amato explica como fazer a investigação de infertilidade na mulher

Dra. Juliana Lelis S. Amato é Ginecologista e Obstetra. É chefe da Reprodução Humana do Instituto Amato (www.amato.com.br). Enquanto não está cuidando das suas pacientes, e fazendo FIVs, está cuidando de sua familia👨‍👩‍👧‍👦. É mãe, apaixonada pela natureza🐶🐱🌳🌲, bem estar e estilo de vida saudável🚴.
Escreveu o livro “Em busca da fertilidade.” (http://bit.ly/2sj9H4X), e autora do site fertilidade.org
Instagram: http://bit.ly/dra_amato
Facebook: http://bit.ly/36Q76yc
Twitter: http://bit.ly/2RaylNp
LinkedIn: http://bit.ly/35KxJU3

Estamos à disposição na Av Brasil, 2283. Tel 11 5053-2222 ou WhatsApp 11 93318-3661. Nosso site: www.amato.com.br

—transcrição—

Olá meu nome é Juliana Amato sou ginecologista obstetra e hoje nós vamos conversar um pouquinho sobre os exames de investigação da infertilidade na mulher. Aqui no consultório recebo muitas mulheres tentando engravidar ou querendo saber como anda sua fertilidade. Como que a gente avalia a fertilidade feminina. Vamos lá. Existem alguns exames que a gente avalia para ver como está a reserva ovariana. Então a gente faz as dosagens hormonais no início do ciclo e no final do ciclo. A gente pede um hormônio chamado antimileriano que dá uma noção da reserva ovariana. Essas dosagens desses hormônios associados com o antimileriano da uma predição dessa reserva ovariana. Além disso o ultrassom transnacional com a contagem de folículos antrais nos prediz a reserva ovariana. A avaliação das trompas realizada por um exame chamado histerossalpingografia é o único exame que a gente consegue ver a permeabilidade tubárea muito importante também nos casos de infertilidade. Então para a mulher a avaliação de seus hormônios a avaliação da sua trompa e avaliação da imagem do seu ultrassom no meio dos folículos antrais são os principais exames para avaliação da fertilidade. Associado a isso os antecedentes pessoais e os antecedentes familiares contam muito no processo também. Pacientes jovens que já tiveram o ovário policístico na adolescência. Pacientes que têm endometriose. Tudo vai ser avaliado e associado para predizer a sua reserva ovariana. Se você gostou do nosso video inscreva-se no nosso canal dê seu like. Comente aqui abaixo e ative sininho de notificação para receber mais videos.

-~-~~-~~~-~~-~-
Veja também: “Escleroterapia com sedação Annox”
https://www.youtube.com/watch?v=-70p_4d1mi8
-~-~~-~~~-~~-~-
LEIA TAMBÉM:  Pré natal na gestação de fertilização in vitro (FIV)
Marcações: