Pular para o conteúdo

Dor de cabeça e cefaléia: o que fazer?

Você já teve dor de cabeça? Quase todos nós já passamos por essa experiência desconfortável em algum momento da vida. Mas você sabia que a dor de cabeça pode afetar significativamente a qualidade de vida das pessoas? Ela pode causar dificuldade para realizar atividades cotidianas, atrapalhar o sono e o descanso, diminuir a produtividade e gerar irritabilidade e estresse. Existem vários tipos de dor de cabeça, sendo que cada um pode ter causas e sintomas diferentes. Por isso, é importante estar atento aos sinais de alerta e procurar um médico quando necessário para realizar um diagnóstico preciso e receber o tratamento adequado. Neste artigo, vamos falar sobre os tipos de dor de cabeça, os sinais de alerta, os fatores desencadeantes, os tratamentos preventivos e dicas para melhorar a qualidade de vida de pessoas que sofrem de dor de cabeça. Leia até o final e descubra como lidar com a dor de cabeça de forma eficaz!

Sumário

tipos de dor de cabeça

O que é dor de cabeça e como ela afeta a qualidade de vida?

Dor de cabeça é um desconforto ou dor na região da cabeça ou pescoço, que pode ser um sintoma de diversas condições médicas. Ela pode afetar a qualidade de vida de diversas formas, como causando dificuldade para realizar atividades cotidianas, atrapalhando o sono e o descanso, diminuindo a produtividade e gerando irritabilidade e estresse. Além disso, a dor de cabeça pode ser acompanhada de outros sintomas, como náuseas, tonturas e sensibilidade à luz e ao som, o que pode tornar a experiência ainda mais incômoda. A intensidade e frequência da dor de cabeça variam de pessoa para pessoa, assim como as suas causas, que podem ser desde o estresse e a fadiga até doenças mais graves, como a enxaqueca e problemas neurológicos. Por isso, é importante estar atento aos sintomas e procurar um médico quando necessário para realizar um diagnóstico preciso e receber o tratamento adequado.

Tipos de dor de cabeça: 

Existem vários tipos de dor de cabeça, sendo que os mais comuns são:

  1. Enxaqueca: é uma dor de cabeça intensa e latejante, que normalmente afeta um lado da cabeça. Pode ser acompanhada de náuseas, vômitos e sensibilidade à luz e ao som. As crises de enxaqueca podem durar algumas horas ou até dias.

  2. Cefaleia tensional: é uma dor de cabeça mais leve, caracterizada por uma sensação de pressão na cabeça. Geralmente é causada por estresse, tensão muscular e má postura. Pode durar alguns minutos ou se estender por vários dias.

  3. Dor de cabeça de sinusite: é uma dor de cabeça que ocorre devido a uma inflamação dos seios da face, que pode ser causada por infecções, alergias ou outras condições médicas. Geralmente é acompanhada de dor na face, congestão nasal e febre.

  4. Cefaleia em salvas: é uma dor de cabeça rara e intensa, que geralmente ocorre em um lado da cabeça. Pode ser acompanhada de vermelhidão nos olhos, lacrimejamento e congestão nasal.

  5. Dor de cabeça devido a problemas de coluna cervical: é uma dor de cabeça causada por problemas na coluna cervical, como hérnia de disco e má postura. Pode ser acompanhada de dor no pescoço e nos ombros.

Cada tipo de dor de cabeça pode ter causas e sintomas diferentes, por isso é importante procurar um médico para fazer o diagnóstico correto e indicar o tratamento mais adequado.

Sinais de alerta: quando procurar um médico?

Alguns sinais de alerta na dor de cabeça que indicam a necessidade de procurar um médico imediatamente são:

  1. Dor de cabeça súbita e intensa, que pode ser descrita como a “pior dor de cabeça da vida”;
  2. Dor de cabeça que ocorre com vômitos, rigidez na nuca e febre alta;
  3. Dor de cabeça que piora quando a pessoa se movimenta, tosse ou faz esforço físico;
  4. Dor de cabeça acompanhada de perda de visão, fala ou movimento de um lado do corpo;
  5. Dor de cabeça que ocorre em pessoas com mais de 50 anos de idade e não tem história prévia de enxaqueca ou outras dores de cabeça;
  6. Dor de cabeça que não melhora com medicamentos analgésicos comuns ou que ocorre com muita frequência e intensidade.

Esses sinais podem indicar problemas mais graves, como aneurismas, hemorragias cerebrais, meningite e tumores cerebrais. Por isso, é importante buscar atendimento médico imediato caso apresente algum desses sintomas.

Fatores desencadeantes: 

Existem diversos fatores desencadeantes da dor de cabeça, sendo que os mais comuns incluem:

  1. Alimentação: alguns alimentos e bebidas podem desencadear a dor de cabeça, como café, chocolate, queijo, alimentos processados, bebidas alcoólicas e refrigerantes com cafeína.

  2. Estresse: situações de estresse emocional e físico podem desencadear a dor de cabeça, pois provocam tensão muscular e contração dos vasos sanguíneos na cabeça.

  3. Sono: tanto a falta de sono quanto o excesso de sono podem desencadear a dor de cabeça.

  4. Mudanças climáticas: variações de temperatura, umidade e pressão atmosférica podem desencadear a dor de cabeça.

  5. Postura inadequada: manter uma postura inadequada por um longo período de tempo, seja sentado ou em pé, pode desencadear a dor de cabeça.

  6. Exercícios físicos: a prática intensa de exercícios físicos pode desencadear a dor de cabeça, especialmente se a pessoa estiver desidratada.

  7. Alterações hormonais: as mulheres são mais suscetíveis à dor de cabeça devido às flutuações hormonais durante o ciclo menstrual, gravidez e menopausa.

Identificar os fatores desencadeantes da dor de cabeça pode ajudar a prevenir as crises ou minimizar a sua intensidade. Por isso, é importante manter um estilo de vida saudável, praticar atividades físicas regularmente, ter uma alimentação equilibrada, manter uma boa postura e gerenciar o estresse.

Tratamentos preventivos: 

Os tratamentos preventivos da dor de cabeça incluem mudanças no estilo de vida e hábitos alimentares, tais como:

  1. Manter uma alimentação saudável: evitar alimentos que desencadeiam a dor de cabeça, como os que contêm cafeína, nitratos e sulfitos. Além disso, é importante manter uma alimentação equilibrada, rica em frutas, verduras e fibras.

  2. Hidratação adequada: manter uma hidratação adequada é fundamental para prevenir a dor de cabeça, especialmente durante a prática de exercícios físicos.

  3. Evitar o estresse: gerenciar o estresse é importante para prevenir a dor de cabeça. Algumas técnicas que podem ajudar incluem meditação, ioga, exercícios de respiração e atividades relaxantes.

  4. Praticar atividade física regularmente: a prática regular de atividades físicas ajuda a reduzir a frequência e a intensidade da dor de cabeça, além de melhorar a qualidade de vida.

  5. Manter uma boa postura: manter uma boa postura ao sentar e ao se levantar pode ajudar a prevenir a dor de cabeça.

  6. Ter uma rotina de sono adequada: dormir o suficiente e ter uma rotina regular de sono é importante para prevenir a dor de cabeça.

Além dessas medidas, existem também tratamentos preventivos medicamentosos que devem ser indicados pelo médico. É importante lembrar que cada pessoa pode ter diferentes fatores desencadeantes e, portanto, o tratamento preventivo deve ser individualizado e adequado a cada caso.

Dicas para melhorar a qualidade de vida de pessoas que sofrem de dor de cabeça.

Algumas dicas para melhorar a qualidade de vida de pessoas que sofrem de dor de cabeça incluem:

1. Identificar os fatores desencadeantes e evitar ou reduzir sua exposição a eles.

2. Manter uma rotina saudável e equilibrada, com hábitos alimentares saudáveis, sono adequado, prática de atividades físicas e redução do estresse.

3. Praticar técnicas de relaxamento, como meditação, ioga, exercícios de respiração ou massagem, para aliviar o estresse e a tensão muscular.

4. Utilizar técnicas de biofeedback, que ajudam a controlar a tensão muscular e outros sinais físicos que podem estar relacionados à dor de cabeça.

5. Evitar o uso excessivo de medicamentos analgésicos, que podem piorar a dor de cabeça e causar efeitos colaterais.

6. Procurar tratamento médico especializado para identificar a causa da dor de cabeça e receber o tratamento adequado.

7. Usar óculos de sol e protetores auriculares para se proteger da exposição excessiva à luz e ao som.

8. Manter um diário para acompanhar as crises de dor de cabeça e identificar padrões que possam ajudar a prevenir as crises.

9. Buscar apoio e orientação de grupos de apoio e outras pessoas que também sofrem de dor de cabeça.

10. Realizar atividades prazerosas e relaxantes para melhorar a qualidade de vida e reduzir o estresse, como hobbies, leitura, música ou outras atividades que proporcionem prazer e bem-estar.

Dor de cabeça – o que fazer?

 
O termo técnico para dor de cabeça é cefaléia. Enxaqueca não é sinônimo, mas sim um tipo específico de cefaléia, também chamada de migrânea. Durante uma crise de dor de cabeça, é comum a associação com tumor ou aneurisma, portanto é útil saber que existem mais de 150 tipos diferente de dor de cabeça e a minoria delas está relacionada a uma doença neurológica grave. E ainda, 80% dos adultos vão ter, pelo menos uma vez na vida, um tipo de dor de cabeça conhecida como cefaléia tensional que pode ser bastante intensa e incomodativa. Ao contrário do que acontece em outras partes do corpo, não existe relação da intensidade da dor e eventuais doenças mais sérias. Mas existem alguns sinais que alertam para a necessidade de procurar um especialista:
  • início recente
  • modificação das características habituais da cefaléia
  • intensidade progressivamente maior
  • a primeira ou a “pior dor de cabeça da vida”.
  • associação da dor de cabeça com febre,vômito (exceto enxaqueca), rigidez do pescoço, visão dupla, estrabismo, paralisiafacial, queda da pálpebra, diferença no tamanho das pupilas, crises epilépticas, confusão mental ou qualquer outro sintomaneurológico.
  • início após os 50 anos
  • ocorrência durante esforço físico, atividade sexual ou tosse.
 
Para as pessoas que já convivem com a dor de cabeça, é possível reduzir a freqüência e a intensidade das crises de dor e torná-las mais responsivas aos medicamentos. Além dos diversos tipos de medicamentos preventivos disponíveis hoje, é importante controlar os fatores deflagradores e predisponentes de crises:
  • distribuir adequadamente a carga de tarefas, evitando acúmulo, seja no trabalho, seja em casa e evitar levar trabalho para casa
  • evitar dormir pouco ou demais
  • evitar fadiga excessiva
  • fazer as refeições em horários regulares e não pular refeições
  • eliminar os alimentos identificados como desencadeantes das crises. Ex: chocolate, queijo, etc
  • reduzir a ingestão de estimulantes naturais como café, chá e refrigerantes
  • evitar abuso de bebidas alcoólicas
  • evitar o uso de analgésicossem supervisão médica
  • evitar exposição à luz, ruídos, calor excessivo e cheiros fortes
  • realizar atividade física regular
  • controlar adequadamente a pressão arterial
  • atentar para o efeito colateral de medicamentos
 
Para a enxaqueca existem 2 tipos de tratamento, o tratamento de ataque ou abortivo e o tratamento profilático ou preventivo. O primeiro consiste no tratamento da crise, para tal deve-se relaxar em local escuro e silencioso e usar o medicamento prescrito. O segundo envolve o controle dos fatores predisponentes citados e, nos casos refratários, o uso de medicamentos profiláticos, que não têm ação analgésica, mas agem nos mecanismos centrais da enxaqueca evitando que a dor apareça.
O uso de analgésicos sem supervisão médica pode ser mais grave do que se imagina e procurar auxílio no início pode evitar a cronificação com conseqüente prejuízo pessoal e profissional.

O vídeo trata sobre a dor de cabeça persistente e intensa, que foge do padrão habitual e pode ser um sintoma de alguma condição neurológica. O neurocirurgião é o especialista que deve ser procurado para investigar as possíveis causas dessa dor de cabeça. É importante realizar exames de imagem, como tomografia e ressonância magnética, para detectar problemas estruturais que possam estar causando a dor de cabeça. Além disso, é preciso estar atento a sintomas como vômitos, especialmente pela manhã, que também podem indicar a necessidade de uma avaliação médica.

Hoje nós falaremos de um assunto bastante interessante que é a dor de cabeça e a neurocirurgia. A dor de cabeça, como todos sabemos, é um sintoma bastante frequente e que ocorre na maioria da população. Nós sempre temos no consultório pessoas que nos procuram com a queixa de dor de cabeça. Felizmente, na maioria das vezes, as dores de cabeça são tratáveis com medicações. Só que hoje nós falaremos de uma dor de cabeça um pouco diferente, aquela que persiste, que tem uma intensidade bem maior e que tem algumas características bastante interessantes, tanto em adultos, como em crianças. A dor de cabeça que nos preocupa, nós, como neurocirurgiões são aquelas em que foge um pouco da regra, como eu disse, todo mundo tem uma dor de cabeça em algum momento e isso sempre incomoda, mas aquela dor de cabeça que de repente começa a ficar muito frequente e com uma intensidade importante, esta deve ser investigada. Ao procurar o neurocirurgião, a investigação deve ser realizada através de um exame radiológico ou uma tomografia de crânio, preferencialmente uma tomografia sem a administração de contraste. Para que não haja risco, por exemplo, de alergia ao contraste iodado ou a ressonância nuclear magnética, esta por sua vez, não há problema em relação à administração do contraste. Tanto a tomografia, quanto a ressonância são exames importantes para que nós possamos detectar alguma causa estrutural, ou seja, algum problema que esteja causando a dor de cabeça. Então mais uma vez, dores de cabeça que começam ou saem fora do padrão, habitual têm uma intensidade importante ou aquelas que são acompanhadas, por exemplo, de vômitos, principalmente no início da manhã. Devem ser motivos de preocupação e procure o médico, preferencialmente um neurocirurgião que vá fazer a investigação da dor de cabeça. Se você gostou desse vídeo ou tem alguma dúvida, deixe os comentários que iremos responder e nos acompanhem no nosso canal!

 Perguntas freqüentes
 
 

P: Qualquer dor de cabeça necessita de exames para seu diagnóstico?

R: O diagnóstico das causas de dor de cabeça é clínico. Exames complementares são eventualmente necessários e o tipo de exame varia de acordo com a suspeita diagnóstica. Para alguns casos uma radiografia simples fornece mais informações que uma ressonância magnética.
 

P: Existe cura para a enxaqueca?

R: Embora a freqüência de crises diminuam após os 50 anos, não se considera que haja uma cura para a enxaqueca. Porém os fatores que desencadeiam a enxaqueca podem ser controlados, e eventualmente as crises podem desaparecer.

P: Nervosismo causa dor de cabeça?

R: Os estados emocionais podem desencadear ou agravar dores em pessoas que apresentam uma predisposição.

P: Café é bom para dor de cabeça?

R: Deve-se tomar cuidado com esta crença popular, existe um tipo de cefaleia causada por abuso de cafeína e a pessoa apresenta alívio da dor logo após tomar café. No entanto a dor pode voltar quando passa o efeito do café.

No vídeo, o especialista em dor de cabeça explica que a cefaléia cervicogênica é uma dor de cabeça com origem na coluna cervical, geralmente mais posterior e desencadeada por tensão e estresse. Já a hérnia cervical pode potencializar as crises de enxaqueca, já que a pessoa com enxaqueca tem gatilhos que podem ser mais frequentes quando a pessoa está com alguma doença ou estressada. O médico no exame físico pode identificar sinais que favoreçam o diagnóstico de cefaléia cervicogênica e a frequência e intensidade das crises de enxaqueca podem ser pioradas pelo problema de coluna cervical.

é legal está chegando pergunta aqui também sobre dores de cabeça e era minha cervicais Então são dois grupos aqui de perguntas um é como saber se a minha dor de cabeça tem uma causa de coluna cervical EA outra pergunta é tem uma hérnia de coluna cervical isso pode potencializar a minha enxaqueca Então vamos lá existem a dor de cabeça com origem na coluna cervical né a gente chama de cefaléia cervicogênica ela é geralmente ela tem uma característica de ser mais posterior começa na nuca depois aí para região occipital e ela pode de fato irradiar para frente às vezes a pessoa tem até dor no fundo do olho Oi e a gente geralmente amador desencadeada também por tensão stress mais presente no fim do dia e e geralmente o paciente ele ele já refere que quando movimenta pescoço Dói né E às vezes tem alguns pontos de gatilho na região cervical né então são sinais que chamam atenção para você falar ela serve por gênica aí eu o médico no exame físico do paciente pode ter pode assar alguns finais que é que favoreçam assim esse diagnóstico O que é só uma pergunta a segunda é tem um diagnóstico de hérnia cervical e gostaria de saber se essa hérnia pode potencializar as crises de enxaqueca perfeito é isso é bem comum né as pessoas que têm enxaqueca geralmente Elas têm a gatilhos né para enxaqueca e se a pessoa tá com tá com alguma doença ela tá com mais estressado dormindo pouco tá se alimentando mal os gatilhos eles aparecem a gente forma mais frequente né e mais gatilhos ali para enxaqueca então há o problema da coluna né ainda mais pela proximidade né do da do grupo muscular envolvido é isso é bem comum acontecer e tem uma enxaqueca né já de Base a essa dor eu tinha né de chá que eu tenho desde criança tal e agora apareceu uma outra dor e aí enxaqueca pior então a pessoa tem a cefaléia cervicogênica é e a jaqueta aí o espacinho geralmente eles identificam isso facilmente ele já vem falando que isso em dois tipos de dor diferente né Mas de fato a cefaleia serve o problema de coluna cervical principalmente pode piorar e a frequência EA intensidade das crises de enxaqueca em [Música] E aí

Dr. Alexandre Amato, cirurgião vascular do Instituto Amato, discute a conexão entre dores de cabeça e causas vasculares. O termo “vascular” refere-se aos vasos do corpo, que podem ser venosos, arteriais ou linfáticos. Esses vasos, interna e externamente, podem inflamar e causar dores de cabeça.

Tipos de Dor de Cabeça Discutidos:

  1. Enxaqueca: Pode ser latejante, geralmente em um lado da cabeça. Pode ser associada a sensibilidade à luz, som, náuseas e vômitos.
  2. Cefaleia em Salvas: Intensa e frequentemente centrada ao redor de um olho. Os pacientes podem se sentir extremamente desconfortáveis.
  3. Cefaleia Tensional: Relacionada à tensão, com descrições de aperto na testa ou na parte posterior da cabeça. Pode estar ligada a gatilhos como estresse e distúrbios do sono.

Problemas Vasculares Associados a Dor de Cabeça:

  1. Aneurisma Cerebral: Um “balão” em uma artéria que pode romper e causar uma dor de cabeça intensa.
  2. Vasculite: Inflamação da parede dos vasos.
  3. Acidente Vascular Cerebral (AVC): Conhecido também como derrame, pode ser isquêmico ou hemorrágico.
  4. Trombose Venosa Cerebral: Formação de um coágulo em uma veia do cérebro.
  5. Dissecção Arterial: Separação da parede do vaso, diminuindo o fluxo de sangue para o cérebro.
  6. Artrite Temporal: Inflamação de um vaso superficial no couro cabeludo.

Apesar das causas vasculares das dores de cabeça, Dr. Amato explica que o cirurgião vascular geralmente não é o primeiro médico a investigar dores de cabeça. Normalmente, um clínico geral ou neurologista investigará primeiro antes de encaminhar para um especialista vascular, se necessário.

Sua cabeça está querendo explodir.  Tem muita dor de cabeça?  Acha que pode ser algo pior?  Eu sou Dr.  Alexandre Amato, cirurgião  vascular do Instituto Amato e hoje vou falar sobre as dores de cabeça  e as dores de cabeça, que tem uma razão vascular, afinal, sou cirurgião vascular.  Então, se você conhece alguém que sofre com dor de cabeça, ou se você mesmo  sofre com muita cefaleia, esse vídeo aqui é para você.  Pega esse link e manda pra quem pode se beneficiar desse vídeo  também, afinal, a gente precisa do seu like e precisa que  você assista e compartilhe esse vídeo para que o canal continue existindo.  Então, você sabia que algumas dores de cabeça pode ter origem vascular?  Então o que é vascular vascular é relativo aos vasos,  que pode ser venoso, arterial, linfático.  Então é a estrutura do nosso corpo que leva o sangue oxigenado de um lugar  para o outro ou o sangue não oxigenado, ou mesmo a linfa.  E sim, existem vários tipos de dor de cabeça que têm origem nos vasos.  Agora, lembrando que na cabeça nós temos vasos, não só lá dentro do cérebro.  O cérebro é um dos órgãos mais irrigados  que nós temos e que usa muita energia, então precisa de bastante sangue.  Mas nós temos os vasos também na parte externa da nossa cabeça,  tem no couro cabeludo, podem ter vasos em qualquer  dessas regiões que se inflamam e acabam trazendo uma dor de cabeça.  Então eu gostaria de saber que tipo de dor de cabeça você tem?  Escreve lá embaixo no comentário por que você está vendo esse vídeo?  E vamos lá.  Uma dor de cabeça muito frequente é a enxaqueca.  A enxaqueca, ela pode ser precedida por aurea.  São os sintomas, mas que podem avisar que ela está por vir,  que ela é latejante muitas vezes só de um lado da cabeça,  normalmente intensa e que pode vir associada de uma sensibilidade,  de uma hipersensibilidade a luz, ao som,  e pode vir também com náuseas e até mesmo vômitos.  Muitas das enxaquecas podem sim ter uma origem na vasculatura cerebral.  A cefaleia em salvas é uma cefaleia bem mais rara.  É uma cefaleia muito intensa, diferente da enxaqueca.  A pessoa que tenha cefaleia em salvas, ela não vai conseguir ficar deitada,  ela vai acabar ficando de pé, andando de um lado para o outro.  Às vezes até em casos extremos, pode querer ir até bater a cabeça  em algum lugar de tanto desespero.  Nesse caso, a dor, normalmente, ela se concentra em torno de um olho  e depois da crise pode ficar com a pálpebra caída.  Uma outra cefaleia frequente é a cefaleia do tipo tensional.  Muitas vezes elas são até classificadas de outra forma, mais a cefaleia tensional.  Ela pode ter alguns trabalhos mostrando que ela  pode ter um comprometimento ou uma correlação vascular.  A dor é geralmente descrita como um aperto na testa ou na região  na parte posterior da cabeça.  Elas não são agravadas por alguma atividade física,  nem pelo sol, nem nem por cheiros, nem pela pela luz.  Mas tem vários gatilhos que estão correlacionados com a inflamação  e com danos vasculares também, como o stress como distúrbio de sono.  Então são pessoas que não conseguem dormir  e no dia seguinte acaba tendo bastante cefaleia tensional.  Disfunção da articulação temporomandibular,  que é bem essa articulação que a gente articula  quando movimenta a boca ou o esforço ocular.  Pessoas que precisariam, por exemplo, usar o óculos e acaba forçando bastante  para não precisar usar ou mesmo até a dor cervical que na região do pescoço.  Agora é importante lembrar  que existem as dores de cabeça secundárias à algum problema vascular.  Então o primeiro deles que eu vou falar é um aneurisma cerebral.  Um aneurisma cerebral  é quando um vaso ou uma artéria que leva o sangue de um lado para o outro,  ele perde a capacidade de manter a estrutura da parede  e a parede do vaso começa a dilatar, formando um aneurisma.  Então esse aneurisma é como se fosse um balão  nessa artéria e esse balão vai ter uma parede mais fina.  Ele pode acabar rompendo e ao romper, ele causa uma dor de cabeça,  assim, classificada como a pior dor de cabeça da vida de alguém.  Mas no caso do aneurisma cerebral, normalmente ele não traz nenhum sintoma.  Quando ele está lá quietinho, sem romper, então um aneurisma, ele pode ir crescendo  devagarzinho ou ele pode ser congênito, você pode ter nascido com ele  e muitas vezes passa lá anos, décadas, sem trazer nenhum sintoma.  E aí o sintoma vem aparecer, realmente, quando ocorre o rompimento,  o aneurisma cerebral é uma emergência médica,  tem que estar no hospital, tem que ir para um hospital,  porque se não, o dano pode ser grave e permanente.  A vascolite, então a vascolite é a inflamação da parede dos vasos  quando ocorre uma inflamação da parede dos vasos dentro do cérebro uma vascolite  cerebral, ela pode trazer também bastante dor de cabeça.  É uma condição mais rara e o tratamento  é o tratamento dessa inflamação, é a diminuição dessa inflamação.  Uma outra causa vascular de dor de cabeça é o acidente vascular cerebral.  O conhecido como derrame.  Então se ocorre um AVC, o AVC pode ser isquêmico ou hemorrágico  então ou quando falta o sangue numa região do cérebro ou hemorrágico,  quando tem um sangramento ele vai acabar trazendo também a dor de cabeça.  Só que os sintomas mais frequentes e mais característicos aí  é uma fraqueza de um lado de um corpo a dificuldade da fala e a confusão mental.  Então tem que ter mais do que só a dor de cabeça para ser um AVC.  Mas aí é uma situação grave e que tem que ir para o hospital.  Agora a trombose, com certeza você já ouviu falar de trombose.  É um termo comum.  Trombose venosa cerebral então é a formação de um coágulo que acaba  entupindo uma veia do cérebro, fazendo congestão venosa  naquele local, inchaço do cérebro e isso traz sintomas  e entre eles o sintoma é a dor de cabeça, a cefaleia.  Essa dor de cabeça normalmente vem junto com visão turva, com náusea, vômito.  São dores bem significativas e também tem que ir para o hospital.  Uma outra causa vascular de dor de cabeça é a dissecção arterial.  Então o que é a dissecção arterial?  Então o que é a dissecção arterial?  É a de laminação da parede do vaso.  É quando a parede do vaso ela acaba se separando, causa um flap, uma separação.  Assim isso acaba diminuindo o fluxo do sangue para o cérebro.  Essa denominação ela pode ocorrer na carótida, nas carótidas  a gente tem uma carótida de cada lado, vai levar o sangue para o cérebro  ou nas artérias vertebrais também, que levam o sangue lá para o cérebro.  Tendo uma denominação dessas artérias onde vai ter a diminuição  da quantidade de sangue que chega no cérebro.  Isso pode vir com com a sensação, com a dor, com a cefaleia,  mas como falta de sangue no cérebro pode trazer sintomas  também muito parecidos de um AVC, um acidente vascular cerebral.  A dissecção arterial, gente, é rara, mas ela pode acontecer em alguns.  Ele tem caso relatado até de dissecção numa massagem um pouco mais vigorosa.  Já teve relato de dissecção também em alongamento, academia.  Então, mas não é para sair todo mundo desesperado com relação a isso,  porque é raro.  Normalmente tem que ter uma outra doença associada,  alguma doença do colágeno que predispõe essa pessoa a danos,  a essa separação das lâminas, das células da parede do vaso.  Uma outra causa vascular de dor de cabeça  é a artrite temporal, a artrite temporal.  Ela também é uma vasculite, ou seja, é uma inflamação da parede do vaso,  é uma vasculite de um vaso superficial, um vaso que está no couro cabeludo.  Então a dor ela vai ser na região da cabeça.  Uma cefaleia, mas vai haver a sensibilidade ao toque.  Então, ao palpar, você sente a piora dessa dor.  Muitas vezes isso pode até vir associado com febre e com perda de peso,  afinal, é uma inflamação, é uma inflamação significativa.  Para fazer o diagnóstico,  tem que tirar um pedacinho dessa artéria, fazer uma biópsia, um anátomo patológico  e ver o processo inflamatório acontecendo aí nessa artéria.  Então, como eu falei  das causas vasculares de dor de cabeça, você deve estar se perguntando então  será que o cirurgião vascular é o médico apropriado para tratar a dor de cabeça?  Normalmente não.  A dor de cabeça, ela é investigada  por outros especialistas, desde o clínico geral, neurologista,  e só quando é definida que a causa é vascular  e que algum procedimento vascular é necessário.  Ele vai acabar encaminhando para o especialista.  Então eu falei as principais causas vasculares de dor de cabeça,  então, são doenças vasculares que acabam levando a cefaleia.  E se esse vídeo te ajudou de alguma forma,  por favor escreva lá embaixo no comentário e inscreva-se no nosso canal.  Compartilhe com seus amigos e fica ai que eu vou colocar o próximo  vídeo para você assistir.

Qual sua nota para este artigo?

0 / 5

Your page rank:

>
error: Alerta: Gostou do nosso conteúdo? Assine nosso canal!!