Pular para o conteúdo

Varizes: veja o que você pode fazer sobre elas

Varizes são um problema comum que afeta muitas pessoas, especialmente à medida que envelhecem. Elas podem ser dolorosas, desconfortáveis ​​e às vezes embaraçosas. Embora não seja possível impedir completamente sua formação, existem ações simples que você pode tomar para melhorar a circulação sanguínea nas pernas e evitar que as varizes piorem. Neste artigo, o cirurgião vascular Dr. Alexandre Amato discute as opções de tratamento para varizes, incluindo meias de compressão, mudanças no estilo de vida e cirurgia, e ajuda a determinar qual é a melhor escolha para cada paciente. Além disso, ele também aborda o risco de formação de varizes durante voos de longa duração e como preveni-las. Leia mais para aprender mais sobre como tratar e prevenir varizes.

Sumário

No vídeo, o Dr. Alexandre Amato, cirurgião vascular do Instituto Amato, explica que as varizes podem ser genéticas ou secundárias a outras doenças, mas que os danos já ocorridos nas veias varicosas não podem ser revertidos. Ele afirma que não há medicação capaz de regredir a doença venosa e que os medicamentos melhoram os sintomas, mas não fazem a doença regredir. No entanto, existem técnicas de tratamento para varizes, como a cirurgia com laser e a microcirurgia, que possuem recuperação rápida e podem ser feitas com anestesia local e sedação. O Dr. Amato afirma que é possível tratar as varizes em 7 dias com essas técnicas, sem a necessidade de milagres ou tratamentos mágicos.

o olá sou o doutor alexandre amato o cirurgião vascular do instituto amato e hoje eu vou explicar como se livrar das varizes em 7 dias né fica até o final com o vídeo com a gente que você vai sair daqui sem dúvida nenhuma da melhor solução para em 7 dias e não ter mais visualizes é em primeiro lugar é importante lembrar que as varizes podem ser genéticas mais frequentemente são as varizes primárias essas varizes genéticas é carregam junto à hereditariedade né e podem ser secundárias alguma outra doença como uma trombose uma fístula arteriovenosa a questão é quando a gente está falando de genética é não a até hoje nenhuma terapia gênica capaz de mudar a genética de alguém é possível que em breve em algum momento a haja uma terapia genética eficaz mas aí bom para varizes vai ser para várias outras doenças né então alguma coisa importante é eu não tô falando aqui como mudar a genética de alguém tô falando como se livrar das varizes em sete dias é outra coisa outro aspecto importante lembrar que os danos que já ocorreram nas veias varicosas não tem volta né esse esses danos ocorrem principalmente nas válvulas né que abrem e fecham direcionando esse fluxo sanguíneo a sempre ascendente de forma a retornar ao coração e esse dano tanto na válvula quanto na parede da veia não tem volta não existe nenhuma medicação até hoje que seja capaz de tomou um remedinho e essa parede venosa volta a funcionar adequadamente não é assim que funciona os medicamentos estão aí tem vários eles melhoram os sintomas e não melhor a dor inchaço cansaço mas não vão fazer regredir essa doença venosa uma caramba se não tem é uma terapia gênica e não tem um medicamento como é que a gente vai se livrar das varizes em 7 dias espera que eu vou falar em 7 dias sem varizes outro aspecto é qual a classificação das varizes né então quando eu tô falando de insuficiência venosa a classificação vai de 1 a 6 eu tenho um vídeo muito legal sobre classificação venosa pode ver no nosso canal mas quando eu tô falando de varizes varizes tem um aspecto bem típico são veias dilatadas e tortuosas invisíveis a olho nu quando eu falo isso é eu estou pensando possivelmente na classificação 2 ou 3 das varizes é de insuficiência venosa tá então quando eu tô falando de dois ou três aline tu é uma amplitude aí de variação de da doença é me restrinjo as possibilidades terapêuticas e existe como resolver em 7 dias e aí que eu vou chegar então quando eu tô falando disso é rap 2 ou 3 existem várias técnicas de tratamento mas existem algumas onde a recuperação é muito rápida então o que a gente consegue iniciar o tratamento e já está de volta às atividades normais com uma alta probabilidade de êxito com bons resultados em menos de sete dias e de qual técnica eu tô falando o laser né a cirurgia com laser e a microcirurgia quando a gente faz essas técnicas de forma com anestesia local e sedação o paciente vem para clínica a gente faz em regime de hospital-dia começa a cirurgias 9 horas da manhã lá pelo meio-dia 1:00 já tá indo embora para casa dependendo do tamanho da cirurgia se a gente e na sexta-feira na segunda-feira já tá apta voltar às atividades mas um número mais a fácil de acomodar uma maior a população é uma semana então são sete dias que a gente faz o procedimento cirúrgico com anestesia local e sedação laser onde só vai ser necessário pequenos furinhos associado a técnica da microcirurgia também só são necessários pequenos furinhos não vai ser necessário ficar deitado o tempo todo na cama ah na recuperação é necessário repouso relativo seja tem que se movimentar em uma semana já voltou às atividades normais viu é possível fazer o tratamento das varizes em 7 dias sem precisar de nenhuma nenhum milagre nenhum tratamento milagroso e nenhuma mágica tirada da cartola nós temos a tecnologia para oferecer um tratamento seguro e rápido para varizes gostou do nosso vídeo inscreva-se no nosso canal clica também ali no no sininho compartilhe nossos vídeos na mídia social e até a próxima [Música] e aí

Varizes é um termo comumente usado para descrever veias visíveis nas pernas. Mas as varizes verdadeiras são dilatadas e muito proeminentes.
As varizes pequenas podem não ser um problema, mas, à medida que as varizes pioram, tornam-se distendidas e tortuosas (cheias de voltas e reviravoltas) e podem fazer com que as pernas se sintam pesadas e doloridas.
O inchaço dos pés e tornozelos é um sinal precoce da função prejudicada das válvulas em nossas veias, que mantêm o sangue fluindo, e varizes severas podem ser muito dolorosas.
Há boas evidências de que as varizes têm um vínculo genético e também estão associadas a uma história de trombose venosa profunda (coágulos sanguíneos que obstruem as veias).
TVP e voos de longa duração
Qualquer voo com duração superior a quatro horas representa um risco, mas são os com mais de 12 horas que são mais problemáticos.

Não é possível impedir a formação de varizes, mas ações simples podem melhorar a circulação sanguínea nos pés e pernas e impedir que as varizes piorem.
Manter-se ativo e evitar ficar em pé ou sentado por longos períodos sem movimento ajuda, além de evitar usar roupas que se ajustem firmemente às pernas, coxas e cintura.
Tente elevar as pernas ao sentar, descansar e dormir; reduza o peso, se estiver acima do peso ou obeso; e use sapatos de salto baixo para trabalhar os músculos da panturrilha.
Os tratamentos para varizes dependem da gravidade dos sintomas, da estética e do risco de complicações. O tratamento pode incluir meias de compressão, mudanças no estilo de vida ou uma variedade de opções cirúrgicas.

Meias de compressão

O objetivo das meias de compressão é impedir que o sangue se acumule nas veias e reduzir o inchaço nos tornozelos e pernas.
As meias de compressão graduada exercem mais pressão no tornozelo do que na parte superior da perna, o que ajuda o fluxo sanguíneo a ir para cima, em direção ao coração.
As meias de compressão graduadas são classificadas pela força e variam na quantidade de pressão que aplicam às pernas. A avaliação adequada por um profissional de saúde e o encaixe correto das meias reduzirão o risco de complicações como irritação da pele e fluxo sanguíneo prejudicado para os pés.

As meias de compressão evitam o acúmulo de sangue nas veias.

Mudanças no estilo de vida

As mudanças no estilo de vida podem ajudar a reduzir o desconforto das varizes e também podem impedir que as varizes se agravem.
Uma dieta e exercícios saudáveis ajudarão no controle do peso e o movimento regular manterá o fluxo sanguíneo nos pés e pernas.

Cirurgia

A cirurgia é necessária apenas para uma pequena proporção de pessoas que têm varizes. A escolha do procedimento cirúrgico depende dos sintomas, idade e estado geral da pessoa.
Tratamentos oferecidos também podem variar entre os locais, dependendo da experiência dos médicos na área. Nós temos ampla experiência, publicada internacionalmente, com o tratamento de varizes com laser.

As varizes nem sempre requerem cirurgia.

A terapia endovenosa (dentro da veia) inclui uma variedade de tratamentos que danificam a parede da veia, fecham o vaso e impedem o fluxo sanguíneo através da veia, para que não se acumule ali. Técnicas de laser ou radiofrequência usam calor para alcançar esse efeito.
Alternativamente, a injeção de espuma medicinal na veia é usada para colapsar os vasos sanguíneos (escleroterapia por injeção) e impedir que o sangue se acumule na veia.
Embora não haja diferença significativa nos resultados a curto prazo entre os diferentes tratamentos, a cirurgia a laser está associada a mais dor no pós-operatório e uma recuperação mais lenta, e o uso de espuma medicinal provavelmente causará mais inflamação.
As terapias endovenosas são técnicas cirúrgicas altamente especializadas, que podem causar complicações se não forem realizadas corretamente. E se os problemas nas veias das pernas profundas não forem identificados antes do tratamento, as varizes reaparecerão logo após o tratamento.
Diretrizes internacionais para o gerenciamento de varizes recomendam uma abordagem faseada: a radiofrequência e a terapia endovenosa a laser são a opção preferida; a escleroterapia com espuma guiada por ultrassom é uma opção subsequente; e a cirurgia aberta é considerada quando as terapias endovenosas não são apropriadas.
A cirurgia convencional, que envolve a remoção (decapagem) das principais veias superficiais da perna (veias safenas), está associada a uma recorrência de 25 a 50% em cinco anos.
A prática cirúrgica atual é muito mais refinada do que a remoção de uma veia inteira.
Um procedimento chamado “flebectomia ambulatorial” (microcirurgia) pode ser realizado sob anestesia local. Uma pequena incisão na pele é feita diretamente sobre a veia proeminente e uma agulha de crochê cirúrgica é usada para extrair o segmento da veia através da incisão.
Há um sangramento mínimo com este procedimento cirúrgico, várias veias podem ser tratadas em uma única sessão de tratamento e as cicatrizes resultantes são pequenas. Nos casos em que é necessário remover uma veia safena inteira, essa técnica não é uma opção.

Qual devo escolher?

A decisão sobre qual opção de tratamento para varizes é preferível depende de vários fatores. Estes incluem a idade da pessoa, sintomas e estado geral de saúde.
A recorrência de varizes não é diferente após terapia endovenosa ou cirurgia.
Porém, as técnicas de laser e radiofrequência têm um risco menor de complicações pós-operatórias do que a cirurgia aberta, incluindo menos dor e um retorno mais rápido às atividades normais.
A cirurgia tradicional de varizes não é mais a opção de tratamento de primeira linha e a intervenção precoce com terapias endovenosas pode ajudar a prevenir complicações sérias de varizes, como úlceras nas pernas, trombose e danos extensos nas veias das pernas.
Uma consulta inicial com cirurgião vascular é importante para discutir as opções de tratamento e permitir o tratamento adequado.

 

 

 

Prof. Dr. Alexandre Amato

 

O Dr. Alexandre Amato, cirurgião vascular do Instituto Amato, apresenta 10 tabus relacionados ao tratamento de varizes em um vídeo. Ele esclarece que as varizes não voltam após o tratamento adequado, que a recuperação após a cirurgia é rápida, que a presença de manchas escuras pode ser minimizada após a cirurgia, mas nem sempre desaparece completamente, e que a técnica do laser nem sempre é a melhor opção. O médico destaca a importância de se realizar um exame de ultrassom bem feito e avaliar o que é melhor para o paciente individualmente. Ele também enfatiza que o uso da meia elástica pode ser necessário para tratamento ou prevenção e que diferentes tipos de varizes requerem tratamentos específicos e personalizados.

Olá, sou doutor Alexandre Amato, cirurgião vascular do Instituto Amato, e hoje vou falar sobre 10 (dez) tabus do tratamento de varizes. Primeiro deles: as varizes voltam? Já fiz um vídeo sobre o assunto. A resposta curta é não! Não voltam, se for feito o tratamento adequado e retirar as veias que estão doentes. Agora, tratamentos que são feitos de forma inadequada. As veias podem acabar voltando. O que pode acontecer é que veias que são normais hoje, podem, por causa da genética, acabar evoluindo e ficar doentes no futuro. O primeiro primeiro tabu varizes voltam? não não voltam. Segundo o tabu: “minha vizinha fez a cirurgia e não gostou do resultado, então não vou fazer!” Bom, é importantíssimo levantar essa questão, que um paciente não é igual ao outro e o objetivo de um paciente é diferente do objetivo de outro paciente. Então, varizes pode ter uma questão estética, pode ser uma questão de dor, pode ter uma questão de inchaço, e, talvez, uma pessoa esteja buscando estética, outra esteja buscando a melhora da dor. Em fases diferentes da doença. Ou numa fase em que tem pequenos vasinhos ou numa fase final, onde já tem manchas enormes. Então, é impossível comparar um paciente diretamente com outro paciente. A probabilidade de você ter uma vizinha com as varizes na mesma fase, na mesma situação, fazer o mesmo tratamento, com o mesmo resultado é muito baixa! Então, passem a avaliação com o seu cirurgião vascular, para ver qual é o melhor tratamento para você! Para o seu caso! E, discuta quais as várias possibilidades e quais resultados associados ao tratamento das pacientes que estão na sua fase, e com seu objetivo de tratamento. Terceiro tabu: cirurgia de varizes precisa de um tempo muito prolongado de recuperação. Não é verdade! Com as técnicas atuais de laser, micro cirurgia, anestesia local e sedação, o tempo de recuperação é minúsculo. Então, o paciente faz a cirurgia às 9 horas da manhã, meio-dia / uma hora já está indo embora para casa com o uso da meia elástica. Já voltando gradativamente à vida normal, as atividades normais. Em uma semana já está quase fazendo tudo o que fazia antes. Então, aquilo que acontecia antigamente de um mês / dois meses de repouso não existe mais. Ou se existe é para algumas determinadas técnicas mais antigas. Então converse com seu cirurgião vascular, entenda quais as técnicas que ele está utilizando, se ele está utilizando as técnicas minimamente invasivas: de laser, de radiofrequência que tem uma recuperação muito melhor e mais rápida e, se está fazendo a sedação com anestesia local onde a recuperação é melhor. Quarto tabu: as manchas que não somem. Quando a gente olha uma perna com varizes a gente vê manchas. Primeiro tem que entender o que são as manchas se elas são veias escuras por trás da pele que estão dando um aspecto mais escuro, ou se é a pele já manchada. Quando as veias estão deixando a pele mais escura, e essas veias são retiradas, e não há uma pigmentação da pele não há mancha então retirou a veia e esse local não vai ficar com uma mancha. Agora, se já havia uma mancha, já havia pigmentação no local, já tinha dermatite ocre, já tinham as complicações das varizes, a cirurgia das varizes eles pode até minimizar o impacto dessa coloração, mas, não vai fazer a mancha desaparecer. Depois é necessário um tratamento dermatológico pra aliviar essas manchas. Então, o tratamento das varizes vai diminuir essas manchas, principalmente quando não há ainda a pigmentação na pele. Tabu 5: A cirurgia vai causar manchas? Um pouquinho diferente do outro tabu. Então, você conhece alguém que fez uma cirurgia de varizes e ficou manchado depois. Bom, não é para causar. É uma das possíveis complicações da cirurgia, mas a gente faz de tudo para tentar evitar. Eu também não quero que manche a perna de ninguém. Agora, quando a gente retira a veia, pode haver um pequeno sangramento no local e formação de hematoma. Esse hematoma pode ter uma dificuldade para o corpo de reabsorver. No sangue há a hemossiderina, o ferro que acaba depositando no tecido gorduroso na pele. Essa hemossiderina é de difícil absorção então pode ficar uma mancha que leva um tempo pra desaparecer. As semanas, às vezes meses, mas não é o habitual, porque a gente faz várias técnicas para diminuir essa formação de hematomas e consequentemente a formação de manchas. E mesmo se ocorre, há também o tratamento. Tabu número 6: o laser é sempre melhor que outras técnicas? Não necessariamente, então o laser é uma excelente técnica, nós temos o laser tanto para a via transdérmica que é por fora da pele, quanto pela via endovenosa, que é por dentro da veia. Cada uma com uma utilização e indicação diferente. Mas algumas cirurgias, não há necessidade do laser. A micro-cirurgia de varizes por exemplo, são veias muito pequenininhos, onde a cirurgia tradicional, principalmente aqui no Brasil, Essa técnica foi desenvolvida aqui no Brasil, com pequenos furinhos essas veias são retiradas de forma minimamente invasiva e com resultados excelentes. Nesses casos, o laser endovenoso não tem nem como fazer, porque a fibra ótica é mais grossa do que a própria veia não dá para entrar dentro da veia. E o laser transdérmico pode ser uma possibilidade, mas pode ser necessário várias sessões, então, nesse caso a micro cirurgia que é uma técnica já tem mais idade, mas feita com os princípios atuais de sedação, anestesia local, uso de vasoconstritor para diminuir a formação de hematoma. Os resultados são excelentes! Então, o laser não é para todo mundo. O laser ele pode ser muito útil, mas às vezes ele não vai trazer grandes benefícios. Tabu número 7. “Eu tenho esses vasinhos que me incomodam. Já fiz um monte de aplicação e não melhora. Então não adianta tratar varizes.” É extremamente frequente encontrar pacientes que estão fazendo tratamento de vasinhos, não com cirurgiões vasculares, com outros profissionais, que não identificaram uma doença maior por trás e essa doença é a causa. Ela nutre esses vasinhos. De nada adianta fazer o tratamento desses vasinhos superficiais sem fazer o tratamento da doença originária. A causa de tudo isso. Então, por isso que é importante fazer o tratamento e a avaliação adequada com o cirurgião vascular. Se tiver uma doença por trás, trata-se essa doença já há algum benefício estético bem grande. Depois, pode fazer o tratamento final estético desses vasinhos da estético das teleangiectasias. Tabu número 8. “Fiz um exame de ultrassom e não mostrou nada”. Esse é o pior tabu de todos porque o exame de ultrassom não é igual em todos os locais. O exame de ultrassom ele é extremamente dependente de quem está fazendo. O que isso significa? o ultrassom é uma máquina, que, se a gente trocar a “pecinha”, a pessoa que está usando essa máquina, ele pode ser uma boa máquina de exame ou uma péssima máquina de exames. Então, eu vejo muito frequentemente aqui no consultório: pacientes que fazem exames que levaram, três /quatro /cinco minutos para ser realizado. E vem um exame normal. Isso não foi, com certeza absoluta, um exame bem feito. O exame, o mapeamento venoso, é um exame trabalhoso, onde todas as veias são analisadas, avaliadas para insuficiência, para a falha da válvula e pela dilatação. Tanto o sistema venoso superficial, quanto o venoso profundo. Quando a gente fala de um exame de ultrassom bem feito, avaliando todos os sistemas, no mínimo ele vai levar 20 minutos, podendo levar muito mais tempo do que isso. Então, quando a gente compara um exame feito por um laboratório rápido, na rotina, de maneira “linha de produção” é muito provável que ele tenha “comido bola”. Tabu número 9. Se fizer cirurgia de varizes vai ter trombose? Na verdade as varizes por si só podem causar trombose. Então, o não tratamento pode levar à formação tanto de tromboflebite, que é a trombose superficial, quanto a trombose de verdade ou trombose profunda. Então, o tratamento das varizes visa evitar / prevenir uma formação de trombos nas veias que seriam a trombose. Agora, a cirurgia pode desencadear a formação de uma trombose, principalmente, em quem tem fatores de risco associados, como, por exemplo, uma doença do sangue, uma trombofilia ou que já tiveram trombose anteriormente. Mas isso não impede de fazer um tratamento. A profilaxia pode ser realizada medicamentosa, de forma que mesmo pessoas com alto risco de trombose podem ter o tratamento de varizes feitos. Tabu número 10: O uso da meia elástica. Quem tem varizes vai ter que usar a meia elástica o resto da vida? A questão é que a meia elástica é usada para razões diferentes. Então a meia elástica ela pode ser usada de forma profilática, para evitar a doença. Ela pode ser usada de forma terapêutica, para tratar uma doença. Então, quando você tem varizes e não fez o tratamento cirúrgico, é necessário usar meia de forma terapêutica, onde o uso é muito mais rigoroso. Coloca de manhã, tirar à noite, todos os dias, para evitar a progressão da doença. Agora, quando a gente fala de uso profilático, quer dizer depois de uma cirurgia você tem a genética para desenvolver mais varizes. Então, vamos usar meia de forma profilática para evitar que isso aconteça. E tem o uso para prevenir a trombose. Para prevenir inchaço, tanto em avião, quanto em qualquer outro procedimento cirúrgico. E isso vai ser orientado pelo seu cirurgião vascular. Tabu bônus: Todos os tratamentos de varizes são iguais? Muito longe disso! Varizes, insuficiência venosa, vasinhos, reticulares, teleangiectasias. Tudo está dentro do mesmo saco da mesma doença. Cada um tem um tratamento diferente, e não só um tratamento, muitas vezes tem vários tratamentos para cada tipo dessas veias. A gente tem que ver o que é melhor para você. Essa avaliação que é o grande segredo. A gente tem que entender o que vai ser mais adequado para o seu caso. Por isso que é importante a avaliação pelo profissional que é o cirurgião vascular. Ele tendo todas as ferramentas à disposição, ele vai poder falar: “olha para essa veia e o melhor tratamento é esse, para essa outra o melhor tratamento é esse, mas também pode ser feito esse outro”. E nessa conversa a gente acaba chegando no tratamento customizado para o seu caso. Essa é mais uma das razões porque é impossível comparar um caso com outro como se fossem todos iguais. Então, passe em consulta com um cirurgião vascular, que tenha todas as ferramentas modernas à disposição, entre elas: o laser, radiofrequência, a espuma e tudo mais. Gostou do nosso vídeo? curta, compartilhe, clica no Sininho pra receber as notificações e até o próximo ano.

Qual sua nota para este artigo?

0 / 5

Your page rank:

>
error: Alerta: Gostou do nosso conteúdo? Assine nosso canal!!