Pacientes de UTI podem desenvolver úlcera por pressão

Uma das sequelas que pode afetar pacientes que passaram um tempo internados na UTI por causa da covid-19, é a úlcera sacral, também chamada de úlcera de pressão ou lesão por pressão, e pode acometer outras regiões do corpo. É uma ferida que aparece quando a pessoa fica muito tempo deitada na mesma posição. As regiões do corpo, principalmente com proeminências ósseas, que ficam apoiadas, como atrás da cabeça, nas costas, nas laterais do quadril, no cóccix, nas nádegas, cotovelos e calcanhares são as áreas mais comuns de desenvolverem a lesão.

Também faz parte do trabalho do cirurgião plástico tratar esse tipo de lesão para minimizar complicações, evitar infecções, acelerar no processo de reabilitação.

O tratamento pode ser feito por meio de limpeza e curativos diários e, até mesmo, dependendo da situação da lesão, ter a necessidade de limpeza cirúrgica e reconstrução com retalhos para fechamento.

Com as UTIs sobrecarregadas com a COVID 19, internações prolongadas de paciente críticos, aumenta a possibilidade de surgir essas lesões por pressão, até mesmo em pacientes mais jovens.

*Dr. Fernando Amato

 

*Dr. Fernando Amato é médico cirurgião plástico, membro titular pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, membro da Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética (ISAPS) e da Sociedade Americana de Cirurgiões Plásticos (ASPS).

 

 

LEIA TAMBÉM:  Mamoplastia de Aumento: A cirurgia de aumento das mamas com implante de silicone
LEIA TAMBÉM:  Câncer de pele representa 27% de todos os casos malignos no Brasil, segundo o INCA