6 areas mais frequentes de excesso de pele do ex-obeso

Após perder peso

Nos tempos atuais, a maioria da população (51%) está acima do peso ideal, sendo que a obesidade  atinge 18%  da população. A obesidade é um fator de risco para diversas doenças, principalmente diabetes e hipertensão. Com o objetivo de combater essa doença e melhorar a qualidade de vida desses pacientes, além de introdução de dietas, mudança de hábito, e medicações, a cirurgia bariátrica vêm crescendo, assim como os pacientes que conseguiram vencer essa etapa e emagreceram.

Pacientes que tiveram grandes perdas ponderais dificilmente conseguem estabilizar no peso ideal sem sequelas, pois a pele já não tem elasticidade e, portanto, não consegue acompanhar esse emagrecimento. Fica em excesso em muitas partes do corpo, sendo um novo problema para esses indivíduos. 

Dicas de Saúde para você e sua família 

Assine abaixo para receber mensalmente dicas gratuitas de saúde.

Dicas de Saúde para você e sua família 

Assine abaixo para receber mensalmente dicas gratuitas de saúde.

A cirurgia plástica é essencial na abordagem desses pacientes, principalmente para preservar um contorno corporal mais harmônico, assim como reconstruir deformidades, melhorando a qualidade de vida e trazendo mais conforto ao paciente, mas, infelizmente, são cirurgias que não são isentas de cicatrizes.

As principais regiões que precisam de cirurgia são:

Abdome

  • O abdome é, sem dúvida, a região mais acometida pelo acumulo de pele. Conhecido como abdome em avental, a sua correção é uma das poucas cirurgias nesses pacientes que pode ser coberta pelos planos de saúde.  A dobra do abdome sobre ele mesmo pode até causar infeções bacteriana, candidíase, escoriações, odor fétido, etc. O abdome pode apresentar hernias abdominais e diástases.
  • A cirurgia pode ser feita em carater higiênico nos casos em que houve perda de peso, porém não suficente, mas com sinais de infeção, escoriações, odor, ou quando tiver grandes hérnias
  • Pode ser realizado a abdominoplastia clássica ou em âncora.
LEIA TAMBÉM:  Nódulos Tireoidianos (video)
LEIA TAMBÉM:  Estudo mostra que obesidade e diabetes sem controle estão entre as causas de quadro grave da Covid-19

Mamas

  • O tratamento das mamas depende do volume, tamanho e excesso de pele. 
  • Em mamas muito volumosas pode ser realizado apenas a mamoplastia redutora.
  • Em mamas com ptose (ou seja, caídas), deve ser realizado a mastopexia e dependendo do volume desejado pode ou não ser colocado um implante mamário (protese de silicone
  • Em homens pode apresentar a ginecomastia que é o aumento da mama as custas do aumento da glândula mamária, ou a pseudoginecomastia que é o aumento das mamas sem aumento de glandula mamária. O tratamento varia conforme cada caso, podendo ser realizado adenectomia,e/ou lipoaspiração, e/ou ressecção de pele

Braços

  • Para tratar o excesso de pele nos braços a cirurgia preconizada é a braquioplastia, em que a cicatriz final fica ao longo do braço e na axila, ressecando pele. Existem opções com cicatrizes reduzidas que ficam escondidas nas axilas,  mas o resultado pode ser insatisfatório.
  • Pode ser associado a lipoaspiração na mesma região, com diminuição da gordura nessa região.

Coxas

  • A cirurgia que trata o excesso de pele na região da coxa, principalmente na face medial (parte de dentro), é a cruroplastia, a cicatriz pode ser vertical, obliqua no sentido da raiz da coxa, ou ter um formato em “L” invertido, havendo outras variações teécnicas e muitas vezes está associada a lipoaspiração dessa região

Dorso

  • O tratamento do excesso de pele e gordura no dorso é chamado de torsoplastia, pode ser tratado também em uma abdominoplastia circunferêncial, continuando a cicatriz da abdominoplastia.

Gluteo

  • A região glutea sofre principalmente queda, a sua suspensão pode ser realizada associada a torsoplastia, com preenchimento gluteo com tecido do dorso, ou até mesmo com a colocação de implantes de silicone.

 

Autor: Dr Fernando Amato