Cirurgia Endoscópica da Coluna

Endoscopia da coluna

A cirurgia endoscópica da coluna tem se tornado cada vez mais popular devido às inúmeras vantagens que a técnica proporciona, entre elas, trauma cirúrgico reduzido, rápida recuperação, melhora da dor lombar e preservação da altura discal1–6. A evolução da endoscopia da coluna acompanhou o avanço tecnológico na área dos equipamentos de vídeo, cânulas de trabalho coaxiais, óticas,  aparelhos de radiofrequência, além do desenvolvimento de novos acessos anatômicos, que ocorreu na última década. Apesar das artroscopias em geral terem sido firmemente estabelecida muitos anos antes da artroscopia espinhal se tornar uma opção viável, e de forma similar, a endoscopia ter se tornado padrão ouro para um grande número de doenças nas áreas de ginecologia, urologia e cirurgia geral, assim como qualquer técnica revolucionária, muitos ainda desconfiavam da endoscopia para a cirurgia de coluna7. Apenas em 2020 a superioridade da cirurgia endoscópica para discectomia lombar se tornou evidente 8 e cada vez mais, naturalmente se mostrará superior para estenose de canal lombar, hérnia de disco cervical, estenoses torácicas, cistos, tumores, e também para as técnicas de fusão.

 

Cabe ressaltar, que a técnica endoscópica considerada aqui é realizada sob irrigação contínua e o canal de trabalho encontra-se dentro da ótica, também chamada de “full-endoscopy”, “underwater” ou “truly endoscopic”1,3,4,7,9,10. Isso porque outras técnicas minimamente invasivas, com o uso de sistemas retráteis tubulares, por microscopia ou endoscopia assistida, mostraram não ter vantagem clínica relevante quando comparada à microdiscectomia e inclusive podem haver taxas de complicação mais altas até mesmo que a cirurgia aberta convencional7,9. Outro fator que possa ter dificultado a aceitação científica da endoscopia de coluna desde seu início na década de 1980, é a diversidade de formas de realizá-la, algumas vezes com resultados pobres, por exemplo, como as descompressões endoscópicas simples do espaço intradiscal ou descompressões indiretas pela técnica “in-out” que não representam mais o estado atual da arte, que é a extração direta dos fragmentos discais do espaço epidural ou forame e descompressão direta das estruturas neurais sob controle visual total.

LEIA TAMBÉM:  Crianças com tumores cerebrais
LEIA TAMBÉM:  Cisto sinovial (articular) na coluna

 

Amato Hospital Dia

Desde 2013 realizamos a cirurgia endoscópica da coluna em São Paulo e, a partir de 2015 no Amato Hospital Dia, com uma sala cirúrgica desenhada exatamente para esse tipo de cirurgia e equipada com equipamento de ponta, sendo o primeiro Hospital no Brasil dedicado à esse tipo de cirurgia! Apesar de nossa equipe operar também nos principais hospitais de São Paulo, o Amato Hospital Dia é o lugar mais adequado e equipado para realização da cirurgia endoscópica da coluna. Veja abaixo as possibilidades de tratamento com a cirurgia endoscópica da coluna:

 

Cirurgia Endoscópica da coluna lombar

 

Cirurgia Endoscópica da coluna cervical

 

Cirurgia Endoscópica da coluna torácica

  • acesso tranforaminal, interalaminar/translaminar e transtorácico para hérnias de disco ou estenose de canal por ossificação de ligamento amarelo (canal estreito)

 

LEIA TAMBÉM:  Angioma Cavernoso do Sistema Nervoso Central (Angiomas, Cavernoma)
LEIA TAMBÉM:  Fratura por osteoporose

Outras cirurgias minimamente invasivas

 

Referências:

  1. Amato MCM, Aprile BC, de Oliveira CA, Carneiro VM, de Oliveira RS. Experimental Model for Interlaminar Endoscopic Spine Procedures. World Neurosurg. 2019;129:55-61. doi:10.1016/j.wneu.2019.05.199
  2. Amato M, Aprile B, de Oliveira C. Radiation Exposure during Percutaneous Endoscopic Lumbar Discectomy: Interlaminar versus Transforaminal. Arq Bras Neurocir Brazilian Neurosurg. 2019. doi:10.1055/s-0039-1677883
  3. Aprile BC, Amato MCM, De Oliveira CA. Functional evolution after percutaneous endoscopic lumbar discectomy, an earlier evaluation of 32 cases. Rev Bras Ortop. 2020;55(4):415-418. doi:10.1055/s-0039-3402473
  4. Amato MCM, Aprile BC, Oliveira CA de, Carneiro VM, Oliveira RS de. Experimental model for transforaminal endoscopic spine. Acta Cir Bras. 2018;33(12):1078-1086. doi:10.1590/s0102-865020180120000005
  5. Choi KC, Kim J-S, Park C-K. Percutaneous Endoscopic Lumbar Discectomy as an Alternative to Open Lumbar Microdiscectomy for Large Lumbar Disc Herniation. Pain Physician. 2016;19(2):E291-300. http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/26815256.
  6. Markovic M, Zivkovic N, Spaic M, et al. Full-endoscopic interlaminar operations in lumbar compressive lesions surgery: prospective study of 350 patients. "Endos" study. J Neurosurg Sci. 2016.
  7. Birkenmaier C, Komp M, Leu HF, Wegener B, Ruetten S. The current state of endoscopic disc surgery: review of controlled studies comparing full-endoscopic procedures for disc herniations to standard procedures. Pain Physician. 2013;16(4):335-344. http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/23877449.
  8. Muthu S, Ramakrishnan E, Chellamuthu G. Is Endoscopic Discectomy the Next Gold Standard in the Management of Lumbar Disc Disease? Systematic Review and Superiority Analysis. Glob Spine J. 2020. doi:10.1177/2192568220948814
  9. Teli M, Lovi A, Brayda-Bruno M, et al. Higher risk of dural tears and recurrent herniation with lumbar micro-endoscopic discectomy. Eur Spine J. 2010;19(3):443-450. doi:10.1007/s00586-010-1290-4
  10. Hofstetter CP, Ahn Y, Choi G, et al. AOSpine Consensus Paper on Nomenclature for Working-Channel Endoscopic Spinal Procedures. Glob Spine J. 2020;10(2_suppl):111S-121S. doi:10.1177/2192568219887364