Pular para o conteúdo

Cirurgia plástica: segurança e resultados personalizados

Cirurgia plástica

Indicação de cirurgia plástica deve ser individualizada

Segurança e resultado fazem parte de um pré-operatório personalizado

 

Que a cirurgia plástica é uma forte aliada na autoestima feminina, não se discute. Mas é muito importante que a indicação do melhor tipo de cirurgia seja feita por um especialista em cirurgia plástica, titulado pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, para que ele possa orientar individualmente qual o procedimento que trará resultados satisfatórios, sempre buscando a segurança e o bem-estar da paciente.

Abaixo, o cirurgião plástico Dr. Fernando Amato reúne as principais técnicas buscadas por mulheres para rejuvenescer e harmonizar o corpo, diminuindo gordura, retirando pele flácida, e reposicionando os tecidos. “Cirurgia plástica deve contar com pré-operatório rigoroso e ser individualizada”, diz o médico.

 

Abdominoplastia: Cirurgia plástica realizada no abdômen e indicada quando há excesso de pele e gordura nessa região, a abdominoplastia é muito mais do que apenas deixar a barriga esticada; a cirurgia pode ser realizada concomitantemente com correções de hérnias da parede abdominal e o tratamento da musculatura reto abdominal (diástase). “Frequentemente, indicamos a abdominoplastia de forma reconstrutora, quando o excesso de pele e gordura forma um avental, podendo cobrir a genitália. Isso pode ser comum em pós-operatório de cirurgia bariátrica ou em pacientes com grande perda de peso, sendo uma alternativa para reconstruir a qualidade de vida e autoestima do paciente”, explica Dr. Amato.

Para quem passou pela abdominoplastia e engravidou, Dr. Fernando explica que não há riscos para a saúde, porém, o resultado estético pode ser comprometido depois do nascimento do bebê.

 

 

Abdominoplastia invertida ou abdome reverso: É uma opção cirúrgica para casos restritos, em que o excesso de pele e gordura estão acima do umbigo. Pode ser uma opção em casos que já foram submetidos a uma abdominoplastia clássica.

 

Hidrolipo: Técnica de lipoaspiração que utiliza a infiltração de líquidos contendo soro fisiológico, adrenalina e anestésico local. Com a infiltração desse líquido é realizada a aspiração por seringa ou aspirador cirúrgico. “O risco dessa cirurgia aumenta com a imprudência em realizar a aspiração de grandes volumes e em muitas regiões. O ideal é sempre fazer o procedimento em ambiente hospitalar, de preferência com a presença de anestesista, mesmo que seja usada a anestesia local. Além disso, muitos médicos não especialistas estão se aventurando fazendo esse procedimento, aumentando ainda mais o risco de complicações graves”, explica Dr. Amato.

 

 

Lipoaspiração e Lipoenxertia: Uma das cirurgias plásticas mais realizadas no mundo e relacionada ao tratamento de acúmulos de gordura em algumas regiões do corpo como coxas, culote, abdômen, dorso, papada e braços.

Não é um procedimento para quem deseja emagrecer ou perder peso e é contraindicado para pessoas com obesidade. Algumas vezes pode estar associado a outros procedimentos cirúrgico como abdominoplastia, mamoplastia e ritidoplastia.  Na lipoaspiração, a gordura aspirada pode ser tratada e injetada em outras partes do corpo como bumbum, mama ou até mesmo na face, o que chamamos de lipoenxertia. “É muito importante se atentar aos limites de aspiração, não podendo aspirar mais que 7% do volume corporal e nem ultrapassar 40% da área corporal”, chama atenção o especialista.

A anestesia pode ser local ou até mesmo anestesia geral, mas sempre em ambientes cirúrgicos. Os pacientes que fazem o pré-operatório adequado minimizam o risco cirúrgico.

 

Lipoescultura: Conceito de lipoaspiração em que a gordura é retirada de alguns locais e colocada em outros. Não é uma cirurgia indicada para perda de peso, mas sim para melhorar o contorno corporal, reposicionando glúteos, mamas e abdômen.

Lipolaser: Equipamento complementar da lipoaspiração, com diferentes equipamentos no mercado, que podem causar lipólise, destruição da gordura, ou soltar ela sem destruir, possibilitando o seu uso para enxerto de gordura em face, glúteo e mamas. “A lipolaser torna o procedimento mais fácil, menos invasivo, possibilitando ao paciente uma recuperação mais rápida com menos riscos de sangramento e formação de hematomas”, explica Dr. Amato.

 

 

Lipo HD:  Conceito moderno em que a lipoaspiração é utilizada para melhorar o contorno e transições musculares, valorizando a musculatura existente.

Minilipo: É um nome comercial para uma lipoaspiração de pequeno volume, muito realizada em caráter ambulatorial, ou seja, em consultório. Podendo ser um risco para quem realizar sem cuidados necessários ou mesmo em ambiente inadequado.

Além da reconstrução de mama e lipoaspiração, estão na lista das cirurgias mais realizadas pelo Dr. Amato mamoplastia e mastopexia (cirurgia estética na mama com ou sem silicone), abdominoplastia e câncer de pele.

Mamoplastia: Como o próprio nome já diz, é a cirurgia plástica da mama. Envolve basicamente dois procedimentos: a mamoplastia de aumento, que é comumente realizada com a colocação de um implante de silicone, procedimento popularmente conhecido como prótese de mama, e a mamoplastia redutora, para a redução do volume das mamas.

 

Mastopexia: Está relacionado ao reposicionamento das aréolas e é indicado para mamas caídas, muitas vezes também com flacidez e excesso de pele. Pode ser associada à colocação de prótese e nesse caso chamará de mastopexia com prótese. Apesar de todas serem cirurgias nas mamas, cada uma possui sua característica e detalhe na evolução pós-operatória e as cicatrizes podem variar muito de cada técnica utilizada. “O mais comum nas próteses de mama é a incisão no sulco mamário, mas também pode ser realizada o periareolar e axilar. Além de poder retirar um pouco do excesso de pele periareolar, o mais comum é realizar a retirada de pele e o reposicionamento da aréola, fazendo a cicatriz em T invertido. O T invertido é a cicatriz mais comum e é utilizada também nas grandes reduções de mama”, explica Dr. Amato.

 

Sobre o Dr. Fernando C. M. Amato – Graduação, Cirurgia Geral, Cirurgia Plástica e Mestrado pela Escola Paulista de Medicina (UNIFESP). Membro Titular pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, membro da Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética (ISAPS) e da Sociedade Americana de Cirurgiões Plásticos (ASPS).

Qual sua nota para este artigo?

0 / 5

Your page rank:

>
error: Alerta: Gostou do nosso conteúdo? Assine nosso canal!!