Pular para o conteúdo

Embolização Uterina para tratamento de miomas

mioma-embolizacao_e

Melhores momentos na entrevista no programa Gente que Fala com o Prof Dr Alexandre Amato sobre embolização de miomas

Embolização Uterina é novamente incluída no rol de procedimentos de cobertura obrigatória por convênios e planos de saúde.

O cirurgião vascular e endovascular Alexandre Amato fala sobre a embolização de mioma, um tratamento realizado pelo cirurgião endovascular para diminuir os sintomas de miomas uterinos em mulheres na fase fértil. A técnica consiste em fazer um pequeno furinho na virilha e, com o uso de cateter, soltar algumas bolinhas para cortar a nutrição do mioma, diminuindo seu tamanho. A embolização de mioma é uma das melhores técnicas para preservar a fertilidade e o útero, além de ser eficaz na diminuição dos sintomas causados pelos miomas. O objetivo do tratamento é diminuir a sintomatologia e a dor, além de manter a saúde reprodutiva da paciente.

Olá, sou Alexandre Amato, sou cirurgião vascular e endovascular do Instituto Amato, e hoje vou falar só sobre a embolização de mioma. As mulheres principalmente que estão na fase fértil, elas têm a influência hormonal e podem desenvolver os miomas no útero, os miomas muitas vezes são assintomáticos, ou seja, não causam sintoma nenhum, mas algumas vezes podem causar dor, sangramentos, dismenorreia, ou seja, aquela menstruação ou no volume muito grande ou associado a dor. Os miomas possuem vários tratamentos, entre eles a embolização de mioma é o tratamento realizado pelo cirurgião endovascular, no qual a gente faz um pequeno furinho na virilha e vai com o cateter até a artéria uterina, a gente vai soltar algumas bolinhas, que vão cortar a nutrição desse mioma. Esse mioma vai acabar recebendo menos sangue e com menos sangue ele vai acabar murchando e diminuindo. A ideia da embolização de mioma é diminuir a sintomatologia, diminuir os sintomas que as mulheres sentem com esses miomas e é uma das melhores técnicas para se preservar a fertilidade e preservar o útero. Você gostou desse vídeo, dessas informações, achou o assunto interessante, quer ou vir falar um pouquinho mais sobre isso? Então curta e compartilhe nosso vídeo. Muito obrigado.

A embolização é uma técnica de radiologia intervencionista aplicada à área ginecológica para abordagem terapêutica de várias situações, como no tratamento do leiomioma uterino sintomático. Miomas uterinos são nódulos de tecido muscular liso e tecido conjuntivo fibroso que se desenvolvem na parede do útero. São os tumores benignos mais comuns observados na prática ginecológica.

Apesar do rol já apresentar uma opção terapêutica para o tratamento do mioma com preservação do útero – a miomectomia uterina – a embolização constitui uma alternativa minimamente invasiva ao tratamento cirúrgico para esta patologia.

A ANS resolve adotar os seguintes critérios:

1. Cobertura obrigatória nos casos de:

a. Mulheres portadoras de leiomiomas uterinos intramurais sintomáticos ou miomas múltiplos sintomáticos na presença do intramural (sintomas expressos através de queixa de menorragia/metrorragia, dismenorreia, dor pélvica, sensação de pressão supra-púbica e/ou compressão de órgãos adjacentes).

2. Não há indicação para realização do procedimento nos casos abaixo que, portanto, não teriam cobertura obrigatória pelo Rol de Procedimentos:

  • Mulheres assintomáticas;
  • Adenomiose isolada;
  • Mioma subseroso pediculado;
  • Leiomioma submucoso (50% do diâmetro na cavidade uterina);
  • Leiomioma intraligamentar;
  • Diâmetro maior que 10 cm;
  • Extensão do mioma acima da cicatriz umbilical.
  • Neoplasia ou hiperplasia endometriais;
  • Presença de malignidade;
  • Gravidez/amamentação;
  • Doença inflamatória pélvica aguda;
  • Vasculite ativa;
  • História de irradiação pélvica;
  • Coagulopatias incontroláveis;
  • Insuficiência renal;
  • Uso concomitante de análogos de GnRH

Fonte: ANS

Qual sua nota para este artigo?

0 / 5

Your page rank:

>
error: Alerta: Gostou do nosso conteúdo? Assine nosso canal!!