De onde vem o lipedema?

Doença tão frequente como o lipedema pode ter várias origens. Hormonios e genética influenciam muito. Dr Alexandre Amato, cirurgião vascular do Instituto Amato (www.amato.com.br) fala sobre o Lipedema, doença frequentemente confundida com linfedema e obesidade. Neste video o assunto são as causas do Lipedema (Lipoedema).

O Prof. Dr. Alexandre Amato é professor de cirurgia vascular da UNISA e chefe da cirurgia vascular do Instituto Amato (www.amato.com.br). Cirurgião Vascular e Varizes👨‍⚕Especialista em Lipedema, Doutor (PhD) pela USP🎓Médico Assist. Hosp. San Raffaele – Milão 2008 🇮🇹 Prof. da UNISA👨‍🔬📞11 50532222
Escreveu vários livros (https://www.amato.com.br/livro/), e está dando esse de presente para você: http://bit.ly/HistoriaCirurgia, aproveite
Siga no Facebook: https://www.facebook.com/institutoamato/reviews
Instagram: https://www.instagram.com/dr.alexandreamato/
Twitter: https://twitter.com/alexandre_amato
LInkedIn: http://bit.ly/35KxJU3
WhatsApp: (11)933183661 ou pelo link http://bit.ly/2RchoCt

Estamos à disposição na Av Brasil, 2283. Tel 11 5053-2222 ou WhatsApp 11 93318-3661. Nosso site: www.amato.com.br

— transcrição —


Olá sou o Dr. Alexandre Amato, e hoje vou falar de onde vem o lipedema! O Lipedema é aquela deposição de gordura preferencialmente em membros que ocorrem nas mulheres 11% das mulheres têm e o lipedema muitas delas não sabem. É uma gordura doente, uma gordura que inflama muito fácil, então traz dor. A diferenciação de obesidade é relativamente simples de fazer no sentido em que obesidade não dói e o lipedema dói. Então, se há uma deposição de gordura em membros inferiores tem dor à pressão, a probabilidade de ser lipedema é grande. Mas, a pergunta é: da onde vem? É Uma doença que pega? Uma doença que passa? Então lipedema é uma doença genética! A gente sabe que as doenças que são de alta prevalência e 11% das mulheres e altíssima prevalência. Então a gente sabe que essas doenças têm um comprometimento genético. Então, quando a gente começa a estudar a árvore genealógica, a família das pessoas que tem lipedema, a gente consegue identificar mulheres na família que têm essa característica similar de deposição de gordura nas pernas, muitas vezes pode não estar na família da mãe. A mãe pode não carregar esse gene, pode estar na família do pai, com as mulheres. A gente tem sempre que buscar /olhar para as mulheres, porque que são raríssimos os casos em homens. Então, a gente olha na árvore genealógica sempre as mulheres. A questão é que, sendo uma doença de altíssima prevalência, a genética provavelmente não há um só gene envolvido, há vários genes envolvidos. Então a gente pega uma doença rara, genética. É fácil identificar qual o gene que está causando essa doença. Agora, quando a gente pega uma doença muito frequente, em primeiro lugar ela é muito frequente porque deve haver vários genes envolvidos e é muito difícil a gente pegar um grupo de pessoas com lipedema e outro grupo de pessoas com lipedema. Nesse grupo com lipedema a gente não vai identificar um gene único que está desencadeando a doença. Quando a gente faz o cruzamento dos dados a gente não encontra esse gene, então fica mais difícil descobrir quais são os genes acometidos. E por que é que isso é importante? Então primeiro, que a origem da doença essa, é uma doença genética! E curiosamente algumas gerações podem não apresentar a doença. Então pode pode pular uma geração ou pode pular alguma pessoa pode carregar a genética e não expressar a doença. E por ser uma doença genética, sempre a gente vai pensar nos nossos filhos então a gente tem que identificar cedo, começar o tratamento mais cedo. Não há então, um teste genético ainda para a identificação do lipedema. Embora tenham esforços internacionais em busca desse desse mapa genético, temos como solicitar esse exame. Mesmo nesses testes maiores do 23andme que faz um mapeamento genético completo, não há a possibilidade do diagnóstico pela genética (ainda). Apesar de a gente saber que é uma doença genética. Um outro aspecto muito importante é que como são vários genes envolvidos e diferentes, significa que o tratamento pode não ser tão efetivo para uma genética quanto para o outra. Para uma paciente quanto para a outra. Então isso tem que ser levado muito a sério: aquilo que funciona para uma pessoa com lipedema não necessariamente vai funcionar para outra pessoa com um lipedema. Isso pode ocorrer pela genética diferente. Então tomem muito cuidado ao seguir conselhos de quem teve um grande sucesso com alguma coisa. Não estou falando para não aprender com outras pessoas isso deve acontecer. Só estou falando pra usar com cautela essa informação. Saber que aquilo que funcionou para uma pessoa não necessariamente vai funcionar para você. Então, nunca vá direto no mais invasivo, no mais drástico.
LEIA TAMBÉM:  Tromboflebite Superficial: a trombose das veias superficiais
Marcações: