O que causa gordura nas coxas?

gordura nas coxas

O excesso de gordura nas coxas é uma característica muito comum em mulheres. Normalmente, essa condição está associada à obesidade que, por sua vez, tem origem na má alimentação e falta de atividade física. Mas, o que muitas pessoas não sabem, principalmente as mulheres, é que nem sempre a gordura que se acumula nas coxas se trata de obesidade. Há uma chance enorme de ser uma outra doença: o lipedema. Nesse artigo, vamos falar mais sobre esse problema pouco diagnosticado, mas cada vez mais comum no público feminino.

Gordura nas coxas: um sinal do lipedema

O lipedema é uma doença genética, que atinge principalmente as mulheres. Raros são os casos em que os homens são acometidos por esse problema. A principal característica dessa doença é o acúmulo exacerbado de gordura na região das pernas, especialmente nas coxas.

Quando a mulher sofre com o lipedema, é comum que o seu corpo tenha uma proporção diferenciada. A parte de baixo é mais larga enquanto a parte de cima é mais estreita. Frequentemente, a mulher usa um número menor de roupa na parte superior e um número maior na parte inferior.

A gordura se instala nessa região de maneira simétrica, ou seja, atingindo as duas pernas de uma vez, fazendo surgir nódulos doloridos e manchas roxas.

De onde vem o lipedema

A doença tem um histórico familiar forte por causa da ação dos genes. Esses genes podem atingir várias gerações de mulheres, ainda que em alguma destas gerações passe totalmente despercebida. Portanto, o lipedema é uma doença com predisposição genética e quem sofre com a doença hoje certamente tem na sua família algum antepassado que também já passou pela mesma condição.

Além do fator genético, o surgimento do lipedema também está associado a alguns hormônios sexuais e hormônios de crescimento.

É por isso que muitas mulheres relatam que começaram a acumular gordura nas coxas após momentos específicos da sua vida, como a puberdade, a gravidez e a menopausa. É exatamente nessas fases que acontece um maior desequilíbrio hormonal.

Como tratar a doença e eliminar a gordura acumulada

O lipedema é uma doença crônica e não tem cura. É importante deixar essa informação clara para que o indivíduo tenha uma visão mais realista da situação. Provavelmente são vários genes envolvidos na origem da doença, mas nenhum deles foi detectado ainda.

Entretanto, apesar de não ter cura, o lipedema tem tratamento e este deve ser iniciado o mais cedo possível, logo após a identificação dos sintomas. A rapidez no diagnóstico favorece o tratamento e também os resultados satisfatórios.

O tratamento do lipedema consiste em uma série de cuidados orientados e prescritos pelo cirurgião vascular, especialista responsável por essa doença. Podemos citar:

  • Prática regular de exercícios físicos;
  • Alimentação saudável, com preferência para alimentos anti-inflamatórios;
  • Uso de meias de compressão;
  • Realização de drenagem linfática;
  • Elevação das pernas para facilitar a circulação;
  • Uso de medicamentos específicos;
  • Cirurgia de remoção da gordura, chamada de lipoaspiração.

O tratamento do lipedema pode ser clínico ou cirúrgico. A indicação de um ou outro deve ser feita exclusivamente pelo médico que acompanha o caso, de acordo com a fase da doença, as condições físicas da paciente e da resposta ao tratamento.

Outros sintomas do lipedema

A gordura nas coxas é o principal sintoma do lipedema e serve de alerta para as mulheres que apresentam essa característica. Contudo, não é o único indicativo. Também é importante observar:

Dor nas pernas

Pernas doloridas, sensíveis ao toque, mesmo estando em repouso. A dor acontece porque a gordura do lipedema é uma gordura doente, que inflama muito fácil e, por isso, é muito sensível, provocando dor mesmo em momentos de descanso.

Hematomas na pele

Manchas roxas na pele, que a mulher não sabe de onde vieram e que surgem repentinamente também são sintomas clássicos do lipedema. Às vezes, a mulher acha que está distraída porque sofreu alguma pancada e não se deu conta. Só depois o hematoma aparece.

Na verdade, para que surjam as manchas não é necessário nenhum trauma grave. Quem sofre com lipedema tem nódoas roxas na pele porque os vasos capilares são frágeis. Qualquer contato com alguma superfície ou com outra pessoa pode romper um desses vasos e provocar o hematoma.

Perda da mobilidade

A falta de mobilidade é um dos sintomas do lipedema e também um dos desconfortos mais relatados pelas mulheres. O excesso de gordura nas coxas impede que essas mulheres subam escadas, façam uma caminhada ou usem uma bicicleta ergométrica na academia, por exemplo.

Além disso, o joelho é seriamente afetado por causa do sobrepeso, podendo provocar lesões e dores ao caminhar, também dificultando a movimentação diária. Para não sentir dor, a mulher evita andar e acaba se tornando ainda mais sedentária.

Gordura nas coxas pode ser obesidade?

Sim, porém, quando o depósito de gordura acontece especificamente na região das pernas, como as coxas, a probabilidade de ser lipedema é muito grande. Cerca de 11% das mulheres sofrem com essa doença. 

Apesar dos sintomas similares, obesidade e lipedema são doenças diferentes, que exigem tratamentos específicos. É muito fácil diferenciar a obesidade do lipedema. Veja alguns pontos que devem ser observados com cuidado:

Onde a gordura está localizada

Quanto tem obesidade, a pessoa acumula gordura em todas as partes do corpo. Ela engorda por completo. Quando tem lipedema, a gordura fica acumulada especificamente nas coxas, tornozelos e, às vezes, nos braços.

Qual é o nível de dor

A gordura da obesidade não dói, diferente da gordura do lipedema que inflama facilmente e causa dor em diversos momentos do dia.

Dieta e exercício físico estão reduzindo o peso?

A gordura do lipedema não é eliminada completamente com a prática de atividades físicas e nem com dieta. Já a obesidade pode ser tratada a partir desses hábitos saudáveis. Ou seja, quem tem lipedema pode se frustrar ao seguir uma alimentação regrada e praticar exercícios físicos, voltados para o tratamento da obesidade, diariamente e, mesmo assim, não ver os resultados que queria.

Diminuir a gordura corporal com exercícios e dieta é muito importante para a saúde do organismo e ajuda no tratamento do lipedema, mas não é a única forma de combatê-lo.

Como vimos, a gordura nas coxas é um indicativo forte de que a mulher está sofrendo com lipedema. Conhecer os outros sintomas e identificar os fatores que favorecem o aparecimento da doença é importante para que a própria mulher possa reconhecer os sinais e buscar ajuda o quanto antes.

 

LEIA TAMBÉM:  O que significa o acúmulo de gordura na perna?
LEIA TAMBÉM:  Mamoplastia de Aumento: A cirurgia de aumento das mamas com implante de silicone
Marcações: