Pular para o conteúdo
Início » Medicina » Especialidade: Vascular » Quando usar meia de compressão?

Quando usar meia de compressão?

A meia de compressão é um dispositivo que facilita o retorno venoso das pernas para o coração, sendo recomendada para todos aqueles que sofrem com doenças e insuficiências venosas crônicas como varizes, trombose e úlceras venosas. Ela melhora a circulação sanguínea, alivia as dores nas pernas, reduz o inchaço e evita o surgimento de novas varizes.

Apesar de fazer parte da terapia compressiva, tratamento não invasivo para doenças venosas e linfáticas, é preciso ter cautela no uso da meia de compressão. Isso porque o dispositivo pode oferecer diferentes níveis de compressão, tamanhos e tipos. E para saber qual é a meia mais indicada para cada caso, um médico angiologista deverá ser consultado.

Além da recomendação médica com um especialista, outros fatores devem ser levados em consideração na hora de usar meia de compressão, conforme destacamos no artigo a seguir. Acompanhe.

YouTube video

Como funciona a meia de compressão?

Para entender como funciona a meia de compressão, é preciso primeiramente compreender como funciona a circulação sanguínea. O processo se inicia com o coração bombeando sangue para órgãos e membros do corpo humano através das artérias. E quando falamos em órgãos, estamos falando de membros superiores e inferiores.

Quando o sangue chega até esses órgãos e membros, ele precisa voltar ao coração para que seja novamente oxigenado e posteriormente bombeado de volta para todo o corpo. Contudo, quando lidamos com membros inferiores, estamos lidando também com um obstáculo: a força da gravidade. 

No caso das pernas, o retorno venoso é feito através da compressão muscular da panturrilha, mais conhecida como batata da perna. A panturrilha funciona como uma espécie de bomba, que impulsiona o sangue das pernas de volta para o coração.

E quando esse retorno não acontece de forma regular? Nesse caso, há o acúmulo de sangue nas veias e isso pode deixá-las inchadas e deformadas, causando o surgimento de varizes. Se não tratadas precocemente, inclusive, podem provocar outras doenças  venosas, como trombose, dermatite ocre e úlceras varicosas.

E justamente para evitar que esses problemas aconteçam é que entra em ação a meia de compressão. Ela comprime a região inferior das pernas e promove o retorno do sangue ao coração. 

 

Para quais casos a meia de compressão é indicada?

A meia de compressão é um dispositivo muito útil e indicado para os seguintes casos:

  • Pessoas que já tenham vasinhos e varizes nas pernas ou com histórico de doenças venosas na família;
  • Indivíduos que passam muito tempo em pé ou sentados, pois ambas as posições dificultam o retorno do sangue das pernas para o coração;
  • Gestantes, já que o sobrepeso pode provocar má circulação sanguínea e varizes;
  • Pacientes trombofílicos;
  • Pessoas que vão realizar viagens de avião com duração superior a 8 horas;
  • Praticantes de atividades físicas cujas atividades exijam maior esforço dos membros inferiores;
  • Pacientes que tenham se submetido a cirurgias em que o pós-operatório determine repouso absoluto;
  • Obesos e sedentários;
  • Portadoras de lipedema, a doença das pernas grossas;
  • Idosos, pois a circulação sanguínea costuma ser mais lenta para esse grupo de pessoas.

 

Vale salientar que a meia de compressão também pode ser usada por pessoas que não se enquadram nas situações acima, mas que sofrem constantemente com sensação de peso nas pernas, pernas inchadas e doloridas.

Isso porque embora seja classificada como uma terapia, a meia de compressão também pode prevenir doenças venosas. E, como já explicamos em outra oportunidade, a dor na panturrilha pode ser um indício de problemas vasculares. Leia o artigo na íntegra e saiba mais a respeito.

Quem não deve usar meia de compressão?

Apesar de garantir mais saúde e qualidade de vida a pacientes com problemas circulatórios, a meia de compressão não deve ser usada nos seguintes casos:

  • Insuficiência cardíaca congestiva e não controlada;
  • Isquemia; 
  • Flebite séptica;
  • Edema hepático;
  • Alergia aos materiais de fabricação da meia;
  • Dermatite úmida;
  • Eczemas e úlceras nas pernas (existem meias especiais para esses casos);
  • Fibromialgia reumática;
  • Edema renal.

Tipos de meias de compressão

Conforme mencionamos anteriormente, a meia de compressão pode ser classificada de acordo com o seu tipo ou com o nível de compressão que oferece. Quanto ao tipo, ela pode ser:

  • Meias ¾, até a altura dos joelhos;
  • Meia de compressão do tipo meia coxa (⅞) ou meia calça.

Já com relação aos níveis de compressão, a meia pode ser classificada como:

  • Suave compressão, esportivas ou preventivas: nível de compressão inferior a  20mmHg. Nesse caso, a meia de compressão pode ser utilizada por qualquer pessoa;
  • Média compressão: entre 20mmHg e 30mmHg. Indicada para quem já apresenta doenças venosas como varizes, edemas, dermatite ocre e úlceras venosas;
  • Alta compressão: acima de 40mmHg. Indicada para uso pós-cirúrgico e para pessoas com problemas de circulação sanguínea mais graves, como trombose e edemas pós-traumáticos.

A partir da média compressão, a meia deve ser prescrita por um médico especializado. 

Como usar

Na maioria dos casos, a meia de compressão é colocada de manhã, quando o paciente acorda, e é retirada antes de dormir. Na prática, a meia é usada por um período que varia entre 8 e 12 horas por dia. 

Cabe ressaltar, no entanto, que a meia não precisa ser utilizada durante o sono. Isso porque durante esse período, a perna já esta para cima, não havendo efeito da gravidade.

Terapia compressiva após o tratamento das varizes

Para obter melhores resultados com a terapia compressiva, o ideal é que a má circulação sanguínea seja tratada, ou seja, a causa do problema. Nesse sentido, a meia compressiva tem sido aplicada como um recurso pós-operatório muito eficaz. Quando utilizada após a realização de procedimentos, como cirurgia de varizes com laser, escleroterapia, entre outros, a meia oferece os seguintes benefícios:

  • Prevenir trombose;
  • Evitar embolia pulmonar;
  • Reduzir os riscos de inflamação e pigmentação na pele;
  • Potencializar a ação do esclerosante.

Você sofre com doenças venosas, quer adotar o uso da meia de compressão, mas não sabe se ela é ideal para o seu caso? O Instituto Amato possui uma equipe médica composta por angiologistas, cardiologistas e cirurgiões vasculares para oferecer um diagnóstico preciso e tratamento adequado. Entre em contato conosco e marque já a sua consulta

Prof. Dr. Alexandre Amato

>
× Como posso te ajudar? Available from 08:00 to 20:30