Cirurgia endoscópica da Coluna – Acesso Transforaminal

Transforaminal

O acesso transforaminal é realizado pelo lado da coluna; o endoscópio é direcionado ao forame intervertebral, local por onde a raíz nervosa sai da coluna. É ótimo acesso para hérnias nos níveis mais altos e também para as hérnias que são bem laterais, como as hérnias foraminais ou extra-foraminais. Este acesso é realizado com anestesia local e sedação, o que leva à possibilidade de conversar com o paciente durante a cirurgia.

 

Assista vídeos do acesso transforaminal para tratamento de hérnia de disco lombar

YouTube video

 

YouTube video
YouTube video

 

 

 

A endoscopia para cirurgia da coluna não é apenas um procedimento, mas sim uma técnica cirúrgica que além das inúmeras vantagens, constitui uma maneira revolucionária de enxergar o problema. Assim como algumas décadas atrás o microscópio cirúrgico trouxe melhoria nos resultados operatórios e o endoscópio revolucionou a gastrocirurgia e a neurocirurgia; esta técnica faz o mesmo para a cirurgia de coluna quando bem utilizada. Apesar de já existir há bastante tempo, o seu uso demorou a se estabelecer no Brasil, mas é realizada pela nossa equipe desde 2013.

 

Entre as diversas vantagens da cirurgia endoscópica da coluna, especificamente com relação à técnica transforaminal, estão as seguintes:

  • – realizado com sedação e anestesia local
  • – incisão na pele de apenas 7-8mm;
  • – separação das fibras musculares ao invés de descolamento do músculo do osso;
  • – procedimento mais rápido;
  • – sangramento desprezível;
  • – ausência ou mínima dor pós operatória;
  • – recuperação mais rápida;
  • – o procedimento é ambulatorial e o paciente vai embora no mesmo dia da cirurgia;
  • – alívio mais rápido da dor;
  • – retorno mais rápido ao trabalho;
  • – baixa taxa de infecção (associado às vantagens da realização do procedimento em Hospital Dia, nosso índice de infecção hospital é zero “0”)
LEIA TAMBÉM:  Enxaqueca
LEIA TAMBÉM:  Infiltrações na coluna

 

Não deixe de nos consultar para tirar todas suas dúvidas!

Prof. Dr. Marcelo Amato

Referências:

  1. Aprile BC, Amato MCM, De Oliveira CA. Functional evolution after percutaneous endoscopic lumbar discectomy, an earlier evaluation of 32 cases. Rev Bras Ortop. 2020;55(4):415-418. doi:10.1055/s-0039-3402473
  2. Campos M, Amato M, Aprile BC, Oliveira CA De. Radiation Exposure during Percutaneous Endoscopic Lumbar Discectomy : Interlaminar versus Transforaminal Exposição à radiação durante discectomia endoscópica lombar percutânea : interlaminar versus transforaminal. 2019.
  3. Muthu S, Ramakrishnan E, Chellamuthu G. Is Endoscopic Discectomy the Next Gold Standard in the Management of Lumbar Disc Disease? Systematic Review and Superiority Analysis. Glob Spine J. 2020. doi:10.1177/2192568220948814
  4. Kambin P. Arthroscopic microdiscectomy. 2003;3:60-64.
  5. Hofstetter CP, Ahn Y, Choi G, et al. AOSpine Consensus Paper on Nomenclature for Working-Channel Endoscopic Spinal Procedures. Glob Spine J. 2020;10(2_suppl):111S-121S. doi:10.1177/2192568219887364