Pular para o conteúdo

Andrógeno

Andrógenos

Andrógenos são hormônios masculinos responsáveis pelo desenvolvimento das características sexuais masculinas. É produzido pelo homem, através dos testículos, e também pelas mulheres, por meio dos ovários.

Sumário

A testosterona é o tipo mais comum, mas também temos mais duas variações:

  • DHEA (dehidroepiandrosterona): hormônio produzido a partir do colesterol e que participa da produção de hormônios sexuais, como o estrogênio masculino e feminino.
  • DHT (Dihidrotestosterona): derivado da testosterona, responsável pela diferenciação dos genitais masculino e feminino durante a formação do embrião.

No vídeo, a ginecologista Juliana Amato discute o uso de testosterona para aumentar os níveis de testosterona em mulheres. Ela explica que os kits de laboratório usados para medir os níveis de testosterona são padronizados para os níveis de testosterona em homens e não existe um consenso sobre os níveis de testosterona em mulheres. Além disso, a reposição de testosterona não é necessária para a maioria das mulheres e pode não melhorar sintomas como baixa libido, falta de energia e dificuldade em ganhar massa muscular. Em vez disso, a ginecologista sugere considerar fatores como o estilo de vida, o nível de estresse e a dosagem de vitamina D.

 

 

Olá, meu nome é Juliana Amato, eu sou ginecologista do Instituto Amato e hoje nós vamos conversar um pouquinho sobre um tema bem polêmico que é a testosterona. Você sabe como aumentar a testosterona nas mulheres sem precisar usar hormônio? Vamos conversar um pouquinho. A testosterona, ela é um hormônio muito prevalente no homem. A mulher também tem a sua testosterona na sua composição hormonal, porém essa testosterona nas mulheres, ela é em um nível mais baixo do que dos homens. Os homens tem níveis de testosterona dez vezes maior que o das mulheres. Um erro que eu vejo muito no consultório são mulheres que chegam com exames hormonais falando pra mim, “minha testosterona está baixa e algum outro médico me passou a testosterona pra eu fazer a reposição. Eu preciso fazer essa reposição ou não?”, uma observação que eu quero deixar aqui no vídeo é que os kits de laboratório que colhem o exame de testosterona, eles são específicos pros valores de testosterona no homem. Então, aqui no Brasil em qualquer laboratório que você vá, você vai dosar a sua testosterona, mas ela vai vir em níveis baixos, porque esse kit é padronizado pro sexo masculino. Então, não existe um valor e não existe um consenso da testosterona em mulher. Então, muitas vezes vai vir baixa, mas é um valor de referência pra homem e não pra mulher. E aí a testosterona, a reposição de testosterona, ela não é necessária. Muitas mulheres, elas chegam também no consultório falando, “mas eu tô com baixa libido, eu estou cansada, eu não tenho ânimo pra fazer atividade física, eu não tenho facilidade em ganhar massa muscular, então eu quero repor essa testosterona porque eu sei que isso vai melhorar a minha performance.” Na verdade não é bem assim. A testosterona como indicação clássica só é indicada em mulheres menopausadas que tem uma baixa de libido que a gente chama de desejo sexual hipoativo. Você pode se surpreender se caso você esteja usando uma testosterona em gel, todos os sintomas que você está sentindo, você não sentir nenhuma diferença, não sentir nenhuma melhora porque muitas vezes essa reposição realmente não melhora esses sintomas de cansaço, de falta de energia e aí você tem que considerar outros que causam isso. Um fator importante é a vitamina D, a dosagem da vitamina D que a gente tem que se atentar. Tem que se atentar ao seu padrão de vida. Como que tá o seu estilo de vida? Você é uma pessoa que tá trabalhando muito? Tá mais estressada? Tá passando por algum problema na sua casa ou já tem uma carga na sua rotina que impede que você faça atividades físicas? Que impede que você tem um outro olhar pra outras situações ou pode realmente ser algum outro problema físico que você passando? Então o ideal sempre é procurar um médico e investigar as causas desses sintomas. Mas aqui eu vou dar algumas dicas de como manter uma testosterona num nível adequado pras mulheres sem ter uma grande baixa dela no seu organismo. O que a gente sabe que a testosterona, ela pode ser influenciada por algumas questões. Uma dela é o uso de anticoncepcional oral. O anticoncepcional oral, ele é um hormônio que seu organismo pare de determinados hormônios naquela fase que você tá usando a medicação, você vai tomar esses hormônios endógenos, ou seja, de fora pra dentro e com isso a produção de testosterona, ela é comprometida. Mas todas as mulheres vão ter algum sintoma por causa disso? Não, as vezes não, mas algumas tem com o uso do anticoncepcional uma queda da libido. A prática de atividade física é importante também. Todo mundo sabe que a atividade física, ela é importante para manter o nosso corpo ativo, pra manter nosso colesterol, pra evitar doenças, pra manter uma atividade circulatória, cardíaca, pulmonar, do funcionamento do corpo em geral, OK. Porém, existem pessoas que fazem atividade física mais pesada, como corrida, como aquelas maratonas muito intensas e com isso elas têm um aumento do seu nível de cortisol e aumentando o nível de cortisol, diminui a produção de testosterona pela adrenal. O ideal é que você faça a musculação e se for um treino mais aeróbico, um intervalado de alta intensidade, porém aquele intervalado que você dá os picos da atividade física, mas você tem uma recuperação rápida. Controlar o estresse é outra dica legal também, porque quando a gente tá muito estressado, a gente tem a produção maior do hormônio cortisol que é o hormônio do estresse. Então manter uma atividade que te dê mais prazer, que você pare no seu dia, faça exercícios de respiração pra acalmar. Ioga, meditação são muito legais pra esse aspecto. Como eu tinha falado anteriormente, manter níveis adequados de vitamina D também é essencial pra gente manter uma produção hormonal eficaz. Níveis de vitamina D acima de cinquenta nanogramas por ML são indicados. O sono também é muito importante. Por quê? Porque à noite que a gente tem maior liberação de testosterona. Então o indicado é que você tenha boas noites de sono. Se você não tá dormindo muito bem, tenta saber porque que a qualidade desse sono não está tão adequada. Às vezes você não tá fazendo aquela higiene do sono como deveria, de não se expor à luz antes de dormir, ler com luz acesa, aquelas luzinhas no quarto que às vezes atrapalham a nossa produção de melatonina a noite. Então uma higiene do sono aqui é bem adequada pra ajudar a você liberar mais testosterona no seu organismo durante a madrugada. Espero que cê tenha gostado desse vídeo, pode deixar aqui as suas dúvidas, vamos conversar um pouquinho e se você gostou desse vídeo, inscreva-se no nosso canal, dê aqui o seu like e ative o sininho de notificação.

Apesar de ser um hormônio tipicamente masculino, mulheres também possuem a testosterona em seu organismo, com função semelhante. Porém, o hormônio tem uma produção bem menor se comparada aos homens.

A ação da testosterona em mulheres só é percebida facilmente quando a produção deste hormônio acontece de forma desequilibrada, conferindo à mulher características naturalmente masculinas, dentre outros sintomas.

Para que serve um hormônio andrógeno

Como vimos, os hormônios andrógenos possuem funções específicas, de acordo com o tipo de cada um. A testosterona, principal deles, é quem participa da formação das características naturais masculinas e femininas.

Além disso, também exerce um papel importante na fertilidade tanto do homem quanto da mulher.

Nos homens, o andrógeno participa da produção e amadurecimento do espermatozoide, gameta masculino, influencia na potência e desejo sexual e também no envelhecimento do indivíduo.

Já nas mulheres, a testosterona é responsável pelo aumento e controle da libido sexual, um estimulante para a ovulação e favorecimento da gravidez. Quando está ovulando, o desejo sexual aumenta, elevando as chances de uma gestação.

Além disso, a testosterona aumenta a probabilidade da mulher ter uma gravidez bem sucedida, uma vez que são liberados óvulos mais saudáveis e com mais facilidade. 

A qualidade desse material é muito importante para uma gestação obtida através de meios naturais, como o coito sexual em dias férteis, ou por meio de inseminação artificial, quando há a junção do gameta masculino e feminino com ajuda externa. 

O uso de andrógenos na reprodução assistida

Diante da importância dos andrógenos na melhora da fertilidade da mulher, a Medicina tem adotado o uso desses hormônios de uma maneira inteligente, buscando sempre os resultados mais eficazes para o objetivo do casal que deseja engravidar.

Assim, durante a técnica de reprodução assistida, os andrógenos atuam como auxiliares estimulando a liberação do óvulo em tempo hábil e melhorando a qualidade dos gametas femininos. 

Eles também influenciam no crescimento dos folículos em tempo adequado, além de melhorar a formação dos óvulos e impedindo a degeneração ovular, uma das causas do não prosseguimento de uma gravidez.

Por isso, a suplementação de DHEA e uso de testosterona podem ser medidas tomadas pelo médico que acompanha a reprodução para tentar garantir que a fertilização seja bem sucedida a partir da estimulação ovariana.

Lembramos que a estimulação da ação dos ovários faz parte da técnica de reprodução assistida nos casos em que a mulher não tem uma ovulação regular e o médico precisa ter acesso a este material para a formação dos embriões.

Importância do equilíbrio de andrógenos no corpo humano

Apesar da real importância dos andrógenos para a saúde sexual e para a fertilidade tanto em homens quanto em mulheres, precisamos destacar que o excesso de hormônios sexuais não é o recomendado, podendo causar mais riscos do que benefícios. 

A suplementação é indicada quando há baixa deste material no corpo humano e a orientação é válida para o público masculino e feminino. Do contrário, o excesso pode causar câncer de mama e de ovário, doenças hepáticas, aumento do colesterol e infarto.

No vídeo, a Dra. Lorena Amato discute as possíveis consequências do uso de testosterona em homens para fins estéticos, como aumentar a massa muscular e perder gordura. Ela explica que, enquanto a testosterona é bem-vinda e só traz benefícios para a saúde em casos de andropausa, hipogonadismo funcional ou hipogonadismo congênito, o uso prolongado de níveis suprafisiológicos de testosterona pode ter repercussões deletérias, incluindo risco de trombose, lesão muscular, infertilidade e hipogonadismo definitivo. Além disso, ela alerta para os riscos de usar hormônios sem a supervisão de um médico e recomenda procurar um especialista para avaliar se o uso de testosterona é adequado para cada indivíduo.

O uso de testosterona em homens vai trazer alguma consequência negativa? Se você está pensando em usar algum hormônio para ganhar massa muscular ou para qualquer outro benefício, segue comigo nesse vídeo até o final para saber as possíveis consequências disso. Eu sou a Dra. Lorena Amato e eu vou falar para vocês aqui as possíveis consequências do uso de testosterona. Hoje é muito comum, vou focar principalmente no uso de testosterona em homens. Se você quiser saber do uso de testosterona em mulheres, a gente já tem um vídeo sobre isso no canal. É muito comum que homens queiram usar a testosterona para fins estéticos, aumentar a massa muscular, perder gordura, ter um melhor desempenho físico. E aí, existem muitas controvérsias. Isso pode ou não trazer repercussões? Vamos aqui comigo saber se isso pode ter alguma consequência. Existem, classicamente, as indicações do uso de testosterona, a situação de andropausa é com a idade, a queda dos níveis de testosterona, a situação de hipogonadismo funcional, onde alguma doença crônica como diabetes, hipertensão ou obesidade, mesmo no jovem, pode levar essa queda dos níveis da testosterona. Situações em que a pessoa nasce com esse hipogonadismo, com diminuição da produção hormonal, testicular, e a testosterona em todas essas situações, é muito bem vinda e só traz benefícios para a saúde desse homem. No entanto, não é o que a gente vê no dia a dia. São homens que têm níveis de testosterona normais, e querem ter níveis supra fisiológicos de testosterona para ganhar massa muscular. A questão é que esses níveis acima do fisiológico, para que a pessoa ganhe muita massa muscular, ela tem que manter por um grande período em níveis supra fisiológicos e isso pode, sim, ter repercussões deletérias. Algumas delas são possibilidade de trombose e de eventos trombóticos, possibilidade de algumas situações que vão levar à lesão muscular, como por exemplo, até o desenvolvimento de uma síndrome compartimental, se o músculo cresceu muito rapidamente. Possibilidade de infertilidade, o uso da testosterona exógena, fora do corpo leva à atrofia dos testículos, diminuição do volume testicular, quando está nesse nível supra fisiológico e, consequentemente, alteração na produção de espermatozoides. Alteração no espermograma e da fertilidade desse homem e, por fim, essa alteração de fertilidade e o que a gente chama de hipogonadismo, pode ser definitivo após o uso da testosterona. O que seria isso? Você usar por muito tempo essa testosterona de fora, pode fazer com que seu corpo entenda que ela não precisa mais produzir. Temporariamente, isso acontece, quando você pára de usar os níveis de testosterona, você demora para voltar a produzir a testosterona adequadamente, a não ser que você faça um tratamento específico para reativar sua produção hormonal. E isso existe, mas você está tratando uma complicação desse uso, desse abuso da testosterona. Mas em algumas situações são mais raras, mas podem acontecer, existe esse hipogonadismo definitivo. É como se aquele excesso de testosterona atrofiasse de tal maneira o testículo e a produção própria do organismo, que o organismo não volta mais a produzir a testosterona, mesmo após a pausa do uso. Além disso, nós nem falamos aqui sobre as questões psíquicas do uso de testosterona em altos níveis. O uso exógeno é muito comum e ainda não foi estudado, mas que a pessoa que experimenta níveis de testosterona muito acima do normal, ela sente um desempenho físico, um desempenho sexual, um desempenho de massa muscular, um ganho de massa muscular tão acima do normal que quando ela volta para os níveis normais de testosterona, ela fica, a pessoa fica sentindo que está faltando algo, que não está normal. Ela ficou tão acostumada a conviver com níveis supra fisiológicos de testosterona, que quando cai para níveis normais de todos os homens, a pessoa se sente fraca. Eu já atendi de vários pacientes que falavam não parece que a minha testosterona não está agindo, mas agiu a vida inteira. A pessoa desenvolveu puberdade e desenvolveu forma masculina. Então essa possibilidade de dependência psíquica, que não tem estudos, mas que a gente vê na prática, ela é real. A pessoa vai ficar ali sempre achando que ela precisa de uma testosterona mais, do que fisiológica e vai ficar ali sempre precisando fazer essa reposição, esse uso não seria uma reposição, esse uso supra fisiológico de testosterona e aí todos os prejuízos que eu já falei relacionados a esse uso de excesso de testosterona. Então, se você conhece alguém que está interessado a fazer o uso, o ideal é que procure ajuda de um endocrinologista para que receba as orientações necessárias. Avalie se há realmente indicação, quais são as consequências desse uso. Esse objetivo de atingir um corpo bonito, cheio de músculos, vai por água abaixo, se você não tiver saúde, se você tiver que ficar internado, tratando alguma complicação desse excesso de testosterona. Então, não deixe de buscar ajuda, caso você esteja querendo saber sobre esse uso de testosterona, se conhece alguém que quer usar, que está curioso para saber mais sobre o tema. Compartilhe esse vídeo, curta, deixe aqui um comentário e até a próxima!

Andrógenos em excesso: sinais

Nas mulheres, o excesso de hormônios sexuais andrógenos podem provocar, principalmente:

Aumento da quantidade de pelos corporais

Essa condição é conhecida como hirsutismo e sua característica é o nascimento de muitos pelos em locais onde eles não deveriam existir nessa quantidade, como buço, rosto, axila, abdômen e tórax.

Apesar de inúmeras técnicas modernas estarem aptas para a eliminação destes pelos indesejáveis, em alguns casos, a intervenção medicamentosa pode ser a única maneira de, realmente, ficar livre do sintoma.

Surgimento de acne

Quando em excesso no corpo feminino, a testosterona age na produção exagerada de sebo, por sua vez, produzido pelas glândulas sebáceas. Esse sebo fica acumulado na raiz do pelo, causando acne e inflamação folicular.

Além de ser uma demonstração do desequilíbrio hormonal, a acne também influencia diretamente na autoestima e na qualidade de vida do indivíduo, especialmente quando afeta mulheres e causa ferimentos e cicatrizes profundas no rosto.

SOP (Síndrome dos Ovários Policísticos)

A SOP é uma das manifestações mais comuns do excesso de testosterona na mulher, sendo também um dos causadores mais conhecidos dos problemas de infertilidade nesse público.

Ovário policístico é uma síndrome causada por alterações hormonais que afeta o ciclo menstrual e pode causar infertilidade. Pode também aumentar o risco de doenças como diabetes e hipertensão e é mais comum em adolescentes e mulheres de 20-30 anos. O diagnóstico é feito através de ultrassonografia transvaginal e exames hormonais e o tratamento pode incluir medicamentos hormonais ou tratamentos para diminuir a resistência à insulina. Se a paciente estiver tentando engravidar, pode ser necessário realizar procedimentos como indução da ovulação ou inseminação intrauterina.

 

 

Hoje nós vamos conversar um pouquinho sobre ovário policístico infertilidade e o que é o ovário policístico. Ela é uma síndrome e essa síndrome ela é causada por alterações hormonais e caracterizada por alterações no ciclo menstrual. Então ou pára-se de menstruar (não tem a menstruação) ou essa mensuração é bem regular: a cada 50 dias a cada dois meses está associado também com alterações de pele como acne e aumenta muito o risco cardiovascular, aumenta o risco de diabetes e hipertensão. Mais para frente na sua vida. Então é uma síndrome que deve ser tratada, causa infertilidade porque não tendo esse ciclo regulares não tem ovulação então fica muito difícil de engravidar. A prevalência é de 10 a 15% na população. A gente faz o diagnóstico mais nas adolescentes mas ocorre muito de fazer o diagnóstico já com 20-30 anos de idade. O importante é tratar antes de querer engravidar porque existe o tratamento que diminui essa resistência à insulina e com isso, com a perda de peso, com essa diminuição da resistência da insulina a pessoa começa a menstruar novamente e ela começa a ovular e pode ter até uma gravidez natural. Mas se não tratada fica mais difícil como é feito o diagnóstico da síndrome da síndrome do ovário policístico? Ela é feita através do ultrassom transvaginal onde vai ver a presença de vários folículos característica de anel de conta na periferia desses ovários e também por alterações hormonais e de insulina. O tratamento do ovário policístico ele consiste em tratamento hormonal através de anticoncepcionais ou através de tratamentos que diminuem essa resistência à insulina. Porém a melhor pessoa que vai indicar esse tratamento é o seu médico, de acordo com o grau dos seus sintomas no caso de pacientes que estão tentando engravidar como se faz o tratamento desse ovário policístico? Normalmente a gente tenta se tratar um pouco antes mas dependendo da idade da paciente a gente já parte para uma tentativa de gravidez que pode ser: Se a causa fosse somente o ovário policístico não tiver nenhuma causa associada tanto a masculina quanto outra causa feminina de infertilidade. Podemos fazer uma indução da ovulação com coito programado ou uma inseminação intrauterina. Se você gostou desse vídeo e se inscreva no nosso canal dê o seu lá e deixe seu comentário e ative esse sininho de notificação para ver mais videos. Obrigada.

 

Isso porque a SOP atrapalha a ovulação da mulher, fazendo com que as menstruações aconteçam de forma irregular e, obviamente, influenciando no encontro do óvulo com o espermatozoide.

Além disso, as mulheres estão mais suscetíveis a sofrer com outras complicações graves, como:

Diante de qualquer sintoma que indique a presença de alguma doença, é imprescindível que a mulher busque acompanhamento com seu ginecologista de confiança.

Nos homens, o excesso de andrógenos também geram efeitos desagradáveis e perigosos, como:

  • Hipertensão arterial;
  • Irritabilidade, ansiedade e agressividade;
  • Calvície e excesso de pelos em outras partes do corpo;
  • Maior risco de trombose;
  • Inchaço nas mãos e nos pés;
  • Crescimento da próstata.

Nesses casos, o acompanhamento deve ser feito com o urologista, médico especialista no tratamento da saúde do homem.

No vídeo, a Dra. Lorena Amato discute o uso de testosterona em mulheres. Ela explica que, enquanto não existe uma síndrome clínica de deficiência de testosterona em mulheres, o uso do hormônio pode ser indicado em algumas situações, como alteração da libido em mulheres na pós-menopausa que já estão fazendo reposição hormonal de estrogênio. Além disso, ela alerta para os riscos de usar hormônios sem a supervisão de um médico e recomenda procurar um especialista para avaliar se o uso de testosterona é adequado para cada indivíduo.

Tudo bem pessoal? Se você é mulher e  está pensando em utilizar testosterona   ou porque algum médico prescreveu ou porque ficou  sabendo dos benefícios potenciais desse hormônio,   não deixe de assistir esse vídeo até o final,  antes de considerar o uso desse hormônio. Antes de começar gostaria de convidar vocês a  se inscrever no canal ativar as notificações   e com isso receber informações médicas de  qualidade e assim conseguir ter uma saúde   melhor. A testosterona em mulheres quais são  suas indicações potenciais benefícios e riscos? Vem comigo nesse vídeo para saber tudo  sobre seu uso. Hoje em dia é muito comum   que mulheres cheguem no consultório  do endocrinologista e eventualmente   ginecologistas queixando se  de testosterona baixa muitas   vezes a paciente já tem uma dosagem e  quer fazer a reposição desse hormônio. Eu já deixei o vídeo aqui falando sobre a  dosagem de testosterona em mulheres se você tem   curiosidade sobre esse assunto corre lá assiste  esse vídeo que vai complementar esse aqui sobre   testosterona em mulheres. O uso da testosterona  em mulheres tem indicações muito precisas. Na verdade, o termo “repor testosterona” em  mulheres já é um pouco equivocado. Afinal o   grande hormônio feminino é o estrogênio.  Então sobre a testosterona na mulher,   não existe uma síndrome clínica descrita  de deficiência de testosterona então   se falar em repor o que nunca foi  deficiente já é um pouco equivocado. Você pode fazer uma terapia com testosterona em  algumas situações. E quais são elas? Mulheres na   pós menopausa que tenham queixas de alteração  da libido. A gente tem aqui no canal também   alguns vídeos sobre LIBIDO convido vocês  a assistirem e essa é a grande indicação. Aquela mulher na pós menopausa que  já está bem estrogenizada ou seja,   ela já está fazendo a reposição hormonal da  menopausa e mesmo assim continua com queixas de   alteração na libido. Eventualmente até cansaço  desânimo dificuldade de ganho de massa magra. Essa mulher pode se beneficiar do uso  de testosterona. A gente sabe que no   decorrer dos anos as mulheres diminuem sua  produção de testosterona que já é pequena   cerca de 20 vezes menor do que a produção  em homens. Mas essa produção só para vocês   terem uma ideia cai pela metade nos 40  anos de idade quando comparado aos 20 anos de idade. Então sim a mulher tem uma  queda na produção de testosterona com o   passar dos anos e isso pode trazer sintomas  como alteração da libido dificuldade de ganho   de massa magra dificuldade de queima de  gordura e até mesmo desânimo e cansaço. Se a gente suspeita nós médicos suspeitamos que  essa mulher pode ter alguma sintomatologia que   poderia se beneficiar do uso de testosterona. A  gente não precisa da dosagem desse hormônio para   identificar essa falta, o diagnóstico é clínico.  E a gente pode sim fazer uma prova terapêutica   isso é muito controverso na literatura mas hoje  os principais profissionais que estudam reposição hormonal na mulher já consideram a possibilidade  de você fazer uma prova terapêutica com baixas   doses de testosterona e avaliar se essa mulher  se sente melhor, se sente aumento da libido,   aumento da disposição da energia. Aí a  gente enfrenta um grande problema nós não   temos no mercado disponível formulações  de testosterona para o uso em mulheres. Nós temos, sempre que decidimos por esse uso desse  hormônio nas mulheres, a gente tem que manipular   atualmente a via transdermica é a melhor  opção. Nós temos que recorrer às farmácias   de manipulação manipular doses baixas de genes  e fazer essa prova terapêutica em mulheres. Outra opção, hoje em dia, que também está  disponível, são os implantes hormonais   que também podem fornecer uma dose pequena de  testosterona para essa mulher. E a gente avaliar   os benefícios se ocorreram ou não. Formulações  injetáveis foram feitas para homens e sempre vão   trazer doses excessivas de testosterona para as  mulheres e todas as consequências desse excesso   de testosterona. E quais são elas? Aumento  de pelos pelo corpo, acne e eventualmente   até queda de cabelo. A alopecia que a gente  chama, num padrão masculino, principalmente   frontal ou seja nessa região anterior, pode  acontecer inclusive uma rarefação dos cabelos. Aumento do clitóris aumento da massa muscular  de forma exagerada atrofia da glândula mamária   e engrossa aumento da voz. Infelizmente  muitos desses sintomas que ocorrem com   excesso de testosterona caso você faça um uso  excessivo de testosterona eles não regridem,   a massa muscular que é o que todo mundo mais  gosta ela em geral regride com a cessação do uso. Mas os efeitos colaterais que são os piores  como a voz grossa e o clitóris aumentado não   regride com a pausa do uso desse hormônio.  Outra indicação do uso da testosterona são   mulheres jovens que por algum motivo  tiveram que tirar os seus ovários. Também nessas mulheres a gente pode considerar.  Como o ovário é uma grande fonte de produção   de testosterona nas mulheres, além da  reposição de estrogênio que é o grande   hormônio da vida da mulher a gente pode  também considerar o uso de testosterona. Então se você está considerando a possibilidade  de utilizar esse hormônio devido a esses sintomas   que eu relatei aqui é importantíssimo que  você converse com seu endocrinologista e   faça isso de maneira adequada e supervisionada.  O uso de hormônios de forma indiscriminada e   sem orientação médica é muito arriscado  traz mais prejuízos do que benefícios. Se você gostou das informações desse  vídeo compartilhe e se inscreva no canal.

 

Andrógenos em deficiência: sinais

Se o excesso não é bom, a falta também não é o ideal. Nas mulheres, a baixa quantidade de testosterona pode causar:

  • Falta de apetite sexual;
  • Ganho de peso;
  • Perda de massa magra;
  • Mal estar;

Nos homens, os sinais da deficiência são similares e incluem:

  • Disfunções sexuais;
  • Dificuldade de ereção;
  • Baixa produção de espermatozoides;
  • Doenças emocionais: depressão e ansiedade;
  • Dificuldade em alcançar o orgasmo;
  • Desânimo e falta de motivação.

Como pudemos perceber, os andrógenos não são apenas responsáveis pelas características sexuais do homem e da mulher. Eles também estão diretamente ligados à fertilidade do casal, devendo se manter sempre em equilíbrio. A averiguação da quantidade desses hormônios e a necessidade de suplementação são tarefas exclusivas do médico que acompanha cada indivíduo. Para orientações mais específicas, consulte o seu médico.

Dra. Juliana Amato

Testosterona é um hormônio muito comumente associado ao ganho de massa muscular e aperda de gordura, especialmente em homens. No entanto, o uso de testosterona em níveis supra fisiológicos (acima dos níveis normais do corpo) por um período prolongado pode ter algumas consequências negativas, como trombose, eventos trombóticos, lesão muscular, infertilidade, atrofia dos testículos e diminuição da produção de espermatozoides. Em mulheres, a testosterona é menos prevalente e não deve ser usada para diagnosticar a falta desse hormônio. Em vez disso, a reposição de testosterona é geralmente indicada em mulheres na pós-menopausa com queixas de baixa libido e pode ser avaliada através de uma anamnese clínica cuidadosa e exames de sangue.

 

 

E aí [Música] o preço das Eroni mulheres quando precisamos dosar se você também tem dúvidas sobre esse assunto me acompanhem nesse vídeo para a gente esclarecer é muito comum nos consultórios que as mulheres nos procurem endocrinologistas às vezes os seus ginecologistas com queixa de testosterona baixa e seria hormônio em geral já foi dosado e veio baixo e a mulher tá frita se precisa fazer alguma coisa em relação esse exame o que é importante que os pacientes e médicos saibam é que a dosagem de testosterona tem uma indicação muito específica quando nós estão suspeitando de excesso de testosterona nessa mulher quando a mulher aparece com queixas de excesso de testosterona como acne queda de cabelo alterações na voz pelos pelo corpo tudo isso são Queijos relacionados ao excesso de testosterona no organismo e tem causas específicas é nessa situação que está indicada a dosagem da testosterona em mulheres em hipótese alguma a testosterona deve ser usada para diagnosticar a falta desse hormônio nas mulheres porque os métodos utilizados por todos os laboratórios inclusive os melhores os de ponta não estão aptos a dosar valores nos níveis femininos que usualmente estão abaixo de 100 essas metodologias foram feitas para dosar níveis acima de 100 150 e os níveis das mulheres comumente estão abaixo de 100 nessa faixa a dosagem e muito em precisa e não cabe interpretação Além disso o hormônio feminino mais prevalente nas mulheres é o estrogênio e Norte as suas ferolla por isso que não existe um contexto para interpretar texto em baixa e mulheres o que inspira a dosagem da testosterona em geral é uma queixa de falta de energia baixa libido que é muito frequente nas mulheres no entanto na maioria das vezes essa queixa é sintomas não são justificados pela pessoa ser Ou na baixa e a pior notícia nem vão se resolver com a reposição da testosterona a maioria das vezes esses sintomas são justificados por outros problemas stress pressão na qualidade do Sono falta de atividade física sedentarismo alimentação inadequada e não porque se funcionou na baixa então a mulher tem todos os sintomas idosa equivocadamente a testosterona e acha que encontrou o motivo precisa os problemas e a reposição não vai trazer a melhora desse sintomas né as ações existe indicações específicas da reposição de testosterona nas mulheres e a gente não precisa dosar testosterona para indicar essa reposição essa indicação é feito através da história Clínica das queixas de uma boa anamnese que a história médica da paciente com isso a gente já é consegue avaliar se essa mulher precisa de reposição de testosterona que são situações muito específicas e particulares que só o seu médico pode avaliar junto a você e indicar a reposição desse hormônio se você gostou desse vídeo acha que trouxe informações importantes para você compartilhe curta e se inscreva no canal e

Qual sua nota para este artigo?

0 / 5

Your page rank:

>
error: Alerta: Gostou do nosso conteúdo? Assine nosso canal!!