Cirurgia endoscópica da Coluna – Acesso interlaminar ou translaminar

Interlaminar

A cirurgia endoscópica da coluna, realizada pela nossa equipe desde 2013, já está consagrada para o tratamento das hérnias de disco lombares e muito em breve não se falará mais na cirurgia convencional aberta para o tratamento dessas doenças, assim como aconteceu em outras áreas da medicina: ortopedia, urologia, cirurgia gástrica, ginecologia, etc.

 

Assista vídeos do acesso interlaminar para tratamento de hérnia de disco lombar:

YouTube video
YouTube video
YouTube video

 

 

Juntamente com nossas publicações 1,2 que já mostravam as inúmeras vantagens da técnica, muitas outras surgiram. E em 2020, Muthu et al., em uma meta-análise, mostrou a superioridade da cirurgia endoscópica nos quesitos melhora clínica e funcional, tempo de internação hospitalar, complicações gerais e duração da cirurgia3.

De uma forma geral, as as principais vantagens do uso do endoscópio são:

  • menor incisão na pele;
  • separação das fibras musculares ao invés de descolamento do músculo do osso;
  • procedimento mais rápido;
  • sangramento mínimo;
  • menos dor pós operatória;
  • recuperação mais rápida;
  • o procedimento é ambulatorial e o paciente vai embora no mesmo dia da cirurgia;
  • alívio mais rápido da dor;
  • retorno mais rápido ao trabalho;
  • baixa taxa de infecção (associado às vantagens da realização do procedimento em Hospital Dia, nosso índice de infecção nas endoscopias da coluna é “0”);
  • alto índice de sucesso2–5.

 

Com um pouco de atraso, a ANS, agência que regulamenta as operadoras de saúde no Brasil, incluiu a cirurgia endoscópica da coluna no rol de procedimentos obrigatórios no Brasil em abril de 2021. Ou seja, a partir desta data, o seu convênio é obrigado a autorizar essa cirurgia quando bem indicada pelo especialista em coluna.

Os acessos interlaminar e translaminar vieram completar as possibilidade de tratamento endoscópico das doenças da coluna, de forma que hoje, não existe hérnia de disco que não possa ser tratada por endoscopia.

LEIA TAMBÉM:  Depressão? Alzheimer? Pode ser um Hematoma Subdural Crônico!
LEIA TAMBÉM:  Cirurgia da coluna com neurocirurgião

Esse acesso é realizado por trás da coluna. No nível de L5S1 existe uma janela que permite fácil acesso por trás, a chamada janela interlaminar. Por outro lado, acidentes ósseos naturais dificultam o acesso transforaminal neste nível. Portanto, o acesso interlaminar é ótimo para hérnias de disco no espaço L5S1, e também pode ser utilizado para hérnias centrais ou centro-laterais em níveis mais altos da coluna lombar, através de pequena “raspagem” no osso (translaminar). Por esta via, não há necessidade de se trabalhar no estreito forame intervertebral, portanto, a anestesia pode ser geral, que permite maior conforto ao paciente, despertar rápido e alta 3h após o procedimento.

Não é possível utilizar apenas uma técnica endoscópica para o tratamento de todas às hérnias ou estenoses da coluna. O cirurgião precisa escolher a técnica mais adequada àquela doença e nunca escolher o paciente para a sua técnica!

Prof. Dr. Marcelo Amato

Leia mais em:

Curso de Endoscopia da Coluna

Cirurgia Minimamente Invasiva

Desgaste da Coluna Lombar

Protrusão de Disco

Dor lombar

Hérnia de disco

Espondilolistese e espondilólise

Ciática

Tenho hérnia de disco. Posso correr?

 

 

Referências:

  1. Aprile BC, Amato MCM, De Oliveira CA. Functional evolution after percutaneous endoscopic lumbar discectomy, an earlier evaluation of 32 cases. Rev Bras Ortop. 2020;55(4):415-418. doi:10.1055/s-0039-3402473
  2. Campos M, Amato M, Aprile BC, Oliveira CA De. Radiation Exposure during Percutaneous Endoscopic Lumbar Discectomy : Interlaminar versus Transforaminal Exposição à radiação durante discectomia endoscópica lombar percutânea : interlaminar versus transforaminal. 2019.
  3. Muthu S, Ramakrishnan E, Chellamuthu G. Is Endoscopic Discectomy the Next Gold Standard in the Management of Lumbar Disc Disease? Systematic Review and Superiority Analysis. Glob Spine J. 2020. doi:10.1177/2192568220948814
  4. Kambin P. Arthroscopic microdiscectomy. 2003;3:60-64.
  5. Hofstetter CP, Ahn Y, Choi G, et al. AOSpine Consensus Paper on Nomenclature for Working-Channel Endoscopic Spinal Procedures. Glob Spine J. 2020;10(2_suppl):111S-121S. doi:10.1177/2192568219887364
LEIA TAMBÉM:  Neuroestimulador
LEIA TAMBÉM:  Meningioma